Emoção até depois do apito final

 


Um desfecho épico, como há muitos anos não ocorria no Campeonato Brasileiro. Depois de um ano turbulento, carregado com o peso da falta da torcida nos estádios, o Flamengo, líder de bilheteria em 2019, foi um dos times que mais sentiram os efeitos da pandemia da Covid-19. Mesmo assim, conseguiu a reação na reta final e conquistou o título numa última rodada que levou à loucura até o mais tranquilos dos rubro-negros. 

Em competição cheia de asteriscos e rodadas com alguns jogos adiados, foi difícil saber quem realmente estava na frente durante o Brasileirão 2020. Nesta análise, consolidamos as rodadas para entender o que aconteceu durante a competição. 

Desde que o atual formato de pontos corridos com 20 times foi instaurado em 2006, esta é a quinta vez que o Brasileirão conhece seu campeão na rodada final. O equilíbrio foi constante durante a competição inteira, como não se via há algum tempo. O G-4 foi frequentado por metade dos clubes participantes e poucas vezes a ordem se repetiu entre os quatro primeiros. 

Para se ter uma ideia, da rodada 30 para a 31 o São Paulo foi do primeiro ao quarto lugar, e o Internacional pulou da terceira colocação para a liderança. Além disso, o Flamengo garantiu a taça após uma virada marcante no finzinho da competição. Veja todas as trocas de posições do campeonato no gráfico acima considerando as rodadas consolidadas. 

São Paulo e Internacional foram os clubes que ocuparam o primeiro lugar mais vezes, mas foi o Flamengo que assumiu a ponta apenas na penúltima rodada e levantou a taça depois do jogo final. 

O Tricolor conseguiu se manter na frente por 80 dias seguidos, considerando as rodadas consolidadas. A derrota por 5 a 1 para o Internacional em pleno Morumbi fez o clube paulista ceder a liderança na 31ª rodada. 

Vasco ocupou a primeira colocação do campeonato na quarta rodada com a mesma pontuação do Bahia, que era o vice-líder. Trinta e uma rodadas depois, os dois clubes também tinham o mesmo número de pontos, mas brigavam para sair da zona de rebaixamento, e a equipe carioca acabou caindo para a Segunda Divisão. 

A distância do então líder São Paulo para o segundo colocado só foi de sete pontos por um determinado período em que alguns times tinham mais jogos que outros, por conta do adiamento de jogos. Com as rodadas consolidadas, a distância máxima que o Tricolor conseguiu foi de cinco pontos. 

GE

Enviar um comentário

0 Comentários