Tanqueiros fazem protesto contra o preço do diesel no Brasil



Caminheiros que fazem o transporte de combustível no Estado - conhecidos como tanqueiros- fazem um protesto nesta quinta-feira (25) pela redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado sobre o óleo diesel. A manifestação que está concentrada desde às 9h próxima a uma das entradas da fábrica da Fiat, em Betim, na região metropolitana, vai sair em carreata até a Cidade Administrativa, para pressionar o governo de Minas a atender as reivindicações da categoria.

De acordo com o presidente Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (SindTaque, Irani Gomes, o movimento vai ocorrer de forma pacífica. 

“Nós estamos a quase uma década tratando com o governo a respeito da alíquota do ICMS sobre o combustível (Diesel). Ela foi elevada de 12% para 15% e nós estamos hoje com uma precificação da Petrobras do óleo diesel que sobe a cada semana e o governo não fez nada pela categoria. Mediante isso, toda a categoria resolveu cruzar os braços. Não entregar combustível em postos de gasolina e aeroportos, até que o governo se comova com a situação que a categoria vem passando com os combustíveis com o preço alto do jeito que está”, pontuou.

Os tanqueiros pedem que o governo reduza de 15% para 12% o ICMS cobrado sobre o óleo diesel no Estado. “Os principais Estados que também estão na cadeia forte do combustível como Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo possuem uma alíquota de 12%, menor do que é cobrado em Minas Gerais. Hoje a gente sobre muito com isso. Hoje tem mais de 1.500 caminhões deixando de carregar e descarregar combustível e não teremos entrega”, explicou.

A manifestação é acompanhada por um forte esquema de segurança mobilizado pela Polícia Militar e pela Polícia Rodoviária Federal. Até o trajeto à Cidade Administrativa, os tanqueiros devem promover um buzinaço e ocupar apenas uma faixas das vias por onde passarem. Faixas pedindo a redução do ICMS sobre o óleo diesel no Estado também foram afixadas nos veículos.

Desde a última terça-feira (23) os tanqueiros estão em estado de greve, o que significa que, a qualquer momento, a categoria pode deflagar greve. A decisão pode ser tomada ainda nesta quinta-feira. Uma assembleia do sindicato com o grupo de trabalhadores será realizada após o protesto.

O Tempo

Enviar um comentário

0 Comentários