Aumenta o percentual de pequenos negócios mineiros que conseguiram crédito, diz pesquisa do Sebrae

 


Aumentou o índice de pequenos negócios mineiros que conseguiram empréstimos bancários até o início deste ano em relação ao final de 2020. De acordo com a 10ª edição da pesquisa “Impactos do coronavírus nos pequenos negócios”, feita pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), dos 42% entrevistados que buscaram ajuda financeira, quase a metade (42%) conseguiram o recurso. O estudo, realizado com 497 mineiros, entre os dias 25 de fevereiro e 1º de março, faz ainda uma análise dos efeitos causados pela pandemia que atingiram em cheio os pequenos negócios do estado.

O crédito ainda é um ponto de fragilidade e ao mesmo tempo de esperança para os donos de pequenos negócios mineiros. Questionados sobre qual seria a medida governamental mais importante que poderia compensar os efeitos da crise no empreendimento, 42% dos entrevistados do estado responderam que seria a extensão das linhas de créditos com condições especiais, como por exemplo, o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), iniciativa do Governo Federal destinado ao desenvolvimento e o fortalecimento dos pequenos negócios.

“Em 2020, o Pronampe concedeu mais de R$ 37,5 bilhões em empréstimos, abrangendo cerca de 517 mil empreendedores brasileiros. Neste cenário de crise econômica e sanitária que vivemos, medidas governamentais e políticas públicas, que facilitam o acesso ao crédito e dão um tratamento diferenciado às micro e pequenas empresas, são essenciais. Temos que lembrar que esses empreendimentos correspondem a mais de 99% das empresas e são responsáveis por quase 60% da geração de empregos no estado, sendo sinônimo de sustentação, transformação e desenvolvimento da economia”, justifica o Superintendente do Sebrae Minas, Afonso Maria Rocha.

Apesar de ter reduzido o percentual de empresários mineiros que buscaram crédito, de 48% dos entrevistados, em novembro de 2020, para 42%, no início de março deste ano, a última pesquisa revelou que houve aumentou de 8% no índice de donos de negócios que conseguiram o recurso financeiro, passando de 34% dos entrevistados (em nov/2020) para 42% dos donos de negócios no estado (em mar/2021).

“Em outro dado, notamos que houve um aumento de 4% dos entrevistados que afirmaram não terem dívidas ou empréstimos a serem pagos. Isso mostra que os donos de pequenos negócios mineiros estão mais cautelosos diante o momento de instabilidade econômica provocada pela pandemia”, explica o Superintende do Sebrae Minas.

Enviar um comentário

0 Comentários