Coluna Fatos & Versões 10/03/2021

 

Os números e resultados da Covid

O crescente número de casos de Covid e consequentemente o aumento das mortes (125 em Varginha) já preocupa além da área de saúde em Varginha. Políticos e empresários já estão de olho no aumento do número de mortes. Na esfera política, principalmente o governo municipal tem se preocupado. Sabem que a pandemia terá resultado nas eleições de 2022, que já bate as portas. Já quanto ao empresariado, a preocupação vem de outras regiões do estado onde tudo já está fechado e sem perspectiva de reabertura e redução das mortes. Com empresas paradas, a incerteza quanto a empregos e crescimento é cada dia mai or. Neste cenário, a saída do secretário municipal de saúde, programada para o primeiro semestre pode atrasar. Já a quantidade de possíveis candidatos a deputados em 2022 no grupo governista também pode reduzir. A conferir o que mais será mudado com os impactos da pandemia.


Governo e Senado

O governador Romeu Zema já começou sua campanha de reeleição e deixa isso muito claro nas postagens de sua rede social. O governador quer falar diretamente ao eleitor, mostrar seu dia a dia e suas diferenças com os antigos ocupantes do poder em MG. Em que pese a postura e atuação do governador, nas principais rodas políticas e econômicas do estado há uma clara diferença do governador para o governo. Ou seja, muitos gostam de Zema, mas nem todos gostam do governo. Isso porque tem sido comum no governo Zema com seus muitos secretários e assessores herdados de outras gestões “tratarem mal e com arrogância” diversas autoridades políticas e lideranças setoriais. Quer dizer que o maior entrave para o atual governador não será vencer os adversários como Alexandre Kalil, que vem forte por ai, mas sim vencer apesar da assessoria que possui! Já na disputa pelo Senado, que terá apenas uma vaga em jogo em 2022, nomes como Julvan Lacerda, presidente da Associação Mineira de Municípios e até deputados estaduais estão de olho na vaga que garante oito anos de poder. A vaga de senador nas chapas será fundamental para compor o palanque vencedor, afinal, uma liderança política que não tenha espaço na chapa apoiando os candidatos majoritários, pode ser a diferença entre vitória e derrota.


Vacina sim!

A campanha de fake news que desestimula a população a não vacinar é algo criminoso que deveria ser alvo de punição pelas autoridades. A Justiça que tão bem policiou as eleições de 2020 coibindo uma grande onda de mensagens falsas deveria agora identificar os ignorantes que pregam a não vacinação! Entre os ignorantes que pregam a negação a ciência, infelizmente, estão alguns poucos médicos e outros profissionais da saúde, mas principalmente “militantes políticos”! Um absurdo pensar que chegaríamos a tal ponto que política, religião e ciência iriam se conflitar! Mas é justamente isso que ocorre hoje! Felizmente, em Varginha tem sido grande a expectativa e aceitação a vacina. Entre os “jovens experientes” que já tomaram a vacina em Varginha está o ex-prefeito Aloysio Ribeiro de Almeida, que possui 90 anos. Aloysio já viveu o bastante para saber que entre religião, política e ciência, no caso de uma pandemia mundial, é melhor ouvir a ciência.


Articulando

Um dos principais articuladores políticos mineiros na Câmara Federal, o deputado federal Diego Andrade (PSD) tem ampliado sua atuação no entorno de Varginha. Diego Andrade conseguiu recursos para asfaltamentos em Três Pontas e R$ 250 mil em verbas de emenda parlamentar para o hospital de Elói Mendes. Diego Andrade tem atuação discreta em Varginha, onde o deputado federal Dimas Fabiano é majoritário em ações e destinação de recursos. Entre os deputados federais fica muito clara a “jurisdição política” de cada parlamentar. Só não vê isso as “tropas de choque” que apoiam os parlamentares e brigam pelos políticos nas cidades. Diego Andrade também tem sido um importante articulador junto ao Governo Zema, onde possui indicações de cargos importantes, como no conselho de administração do Hospital Regional, onde o parlamentar indicou médicos e empresários para gerir o hospital que possui dívida milionária. Aliás, o principal adversário de Romeu Zema em 2022, será justamente do PSD de Diego Andrade. Estou falando do ex-cartola Alexandre Kalil, atual prefeito de Belo Horizonte. Dizem que Diego Andrade e Kalil não seriam mais “bons amigos”, o que não se acredita. De qualquer forma, o PSD tem em seus quadros outros grandes nomes como o atual senador Antônio Anastasia, que embora seja um bom nome para a disputa do Governo de Minas, deve ser indicado para o Tribunal de Contas da União, na vaga de indicação do Senado. A conferir.


Transporte por aplicativo

A coluna foi a primeira a anunciar a chegada do Uber em Varginha. De lá pra cá diversas coisas já ocorreram e transformaram o transporte por aplicativos na cidade. Chegou a 99 pop, maior concorrente da Uber na cidade, seguida de diversos outros aplicativos caseiros. O problema é que a ganância de aplicativos e também motoristas pode colocar em cheque a segurança e conforto dos passageiros que aprenderam a confiar no transporte por aplicativo. Curiosamente em Varginha, a Uber possui menos motoristas que em outras cidades do mesmo porte. Isso ocorre porque quase uma dezena de outros aplicativos também atuam aqui e pagam mais aos motoristas, contudo, não exigem número mínimo de viagens ou estimulam a permanência em serviço em horários menos procurados. O resultado disso é que muitas pessoas acostumadas a buscar viagens de Uber ou 99 durante a madrugada, principalmente em dias da semana não estão encontrando motorista. O descontentamento com a falta de atendimento, visto que os demais aplicativos novos são ainda desconhecidos no mercado, está levando muitos passageiros a voltarem a ter salvo no celular o número do taxista que sempre esteve ali, disponível a qualquer dia e horário, mas por um preço bem maior!


Ele voltará

A advogada do polêmico Juliano Rodrigues está empenhada em tirar seu cliente da cadeia. Insiste na inocência de Rodrigues e ilegalidade da prisão. De qualquer forma, a internet e redes sociais se tornaram mais “serenas” sem as lives de ofensa e impropérios protagonizado por Juliano Rodrigues a cada ataque de fúria contra o Judiciário e o mundo político local. No Judiciário local, já se sabe que não se pode manter Rodrigues preso eternamente (embora alguns queiram). Ao ver as “bizarrices jurídicas” praticadas pelo STF não é de se espantar com as atitudes do nosso “judiciário intergaláctico” de Varginha. A questão não é quando vão libertá-lo, mas sim, quem serão as vítimas de Rodrigues quando este estiver solto nas ruas e nas redes sociais. A conferir.

 

A mando de quem?

Em documento apresentado durante Sessão Ordinária da Câmara de Varginha e encaminhado ao Executivo municipal, o vereador Thulyo Paiva pede para que seja feita a transferência da administração do aeroporto municipal da Secretaria Municipal de Turismo e Comércio (SETEC) para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SINDEC). Segundo o vereador, a SINDEC tem uma equipe especializada na formulação da política de desenvolvimento com foco na indústria, comércio e formação profissional com o objetivo de gerar mais emprego e renda atraindo mais investimentos à cidade. Thulyo ressaltou que a SETEC exerce com excelência a administração do aeroporto; no entanto, a transferência busca otimizar as políticas de planejamento e desenvolvimento econômico do Município. A iniciativa do vereador novato Thulyo Paiva é curiosa, pois não indica, na prática, nenhuma mudança no modo de gerir o aeroporto de Varginha, mas visa unicamente tirá-lo da Secretaria de Turismo. Não aponta nem mesmo se há interesse ou trabalho em andamento  na Secretaria de Desenvolvimento Econômico que possa integrar o aeroporto ou interagir com aquela estrutura. 

Além disso, o ideal é que exista proximidade entre as secretarias para que as estruturas públicas como o aeroporto sejam transversais e sirvam a diversos projetos municipais que envolvam várias secretarias. E no caso em tela, parece muito clara a interação entre as secretarias de Turismo e Desenvolvimento, bem como entre os secretários das pastas. Assim, fica no ar “o que mais” teria estimulado o pedido do vereador? Sabe-se que um “famoso empresário local” do ramo de exportações tem profundo interesse no aeroporto, onde a Secretaria de Turismo faz cumprir a lei e interesse da comunidade, o que eventualmente pode ter trazido “contratempos e despesas extras” ao tal empresário, que também é famoso por “contribuir nas campanhas políticas locais”. Mas é claro que isso não tem nada a ver com o “ingênuo pedido” do vereador! Não acham?


A farra do asfalto

Com as grandes obras de asfalto em andamento na cidade, têm sido comuns os pedidos de asfaltamento pela cidade protagonizados por vereadores, autoridades do Executivo, empresários e até “pedidos” de outros poderes. Na verdade, as inúmeras obras de asfaltamento que acontecem pela cidade, vira e mexe, dão uma esticadinha de alguns metros pra lá ou pra cá, sempre atendendo a pedidos. Não digo que isso seja errado ou irregular, afinal, a estrutura é direito de todo cidadão e empresa. O município quando asfalta uma nova via ou faz o recapeamento de uma via antiga esta fazendo o que é certo. Todavia, a forma como se está “negociando tais favores”, pode despertar a atenção das autoridades, principalmente o Ministério Público. Afinal, se estão fazendo o que é certo, porque se fazer de forma tão suspeita? As obras públicas em andamento possuem projeto certo e quantificado e podem ser ajustadas, não sendo necessários os “puxadinhos” para agradar quem quer que seja.


Perguntar não ofende, nem planejar!

O vereador Carlinho da Padaria apresentou um requerimento na Câmara de Varginha solicitando informações sobre como o município está enfrentando a pandemia de Covid-19. Dentre seus questionamentos estão: se existe alguma captação de informação dos infectados, se é feita alguma amostragem com a pessoa infectada para descobrir o local da contaminação, além do bairro em que a pessoa reside é questionado onde a mesma esteve nos últimos 14 dias, existe algum tipo de controle de frequência desses infectados nos estabelecimentos relacionados aos decretos, esses estabelecimentos são analisados cientificamente como uma possível ameaça para propagação do vírus, além de decretos de fechamento e redução de horário, há alguma alternativa ou recurso para que as empresas continuem com seu funcionamento normal, quem está à frente dos estudos de impacto e, para finalizar, o vereador pergunta se essa equipe se responsabiliza pelos atos de impacto social, econômico e também de saúde que ocorrerão no futuro. Os questionamentos de Carlinho da Padaria são justos, só faltou questionar os valores gastos até aqui no combate a pandemia e qual o recurso que ainda está em caixa ou por vir do Governo Federal para o mesmo destino? Aliás, não se sabe se o Executivo municipal ou o comitê de gestão de crise local possui um planejamento financeiro do que fazer com os milhões vindos para o combate do Covid-19. Será que isso existe?


Reino dividido

A coluna já disse que a maior tarefa política do governo Vérdi será manter sua base unida até o fim da gestão. O grande bloco político heterogêneo que forma o governo municipal é a razão da maioria das “tretas políticas” que, vez por outra, incomodam o sono do prefeito. Num governo que está em seus primeiros meses, já temos vice, secretários e até vereadores da base que estão pensando em 2024! E isso se complica ainda mais quando teremos uma eleição em 2022 com diversas autoridades da base governista disputando cadeiras na ALMG e na Câmara Federal. Um dos exemplos claros da futura divisão para as próximas eleições é o secretário Serginho Japonês (PSC), que ocupa secretaria de Habitação e Desenvolvimento Social, que lida diretamente com o povo, ou seja, uma pasta estratégica para quem deseja “caçar votos”. Serginho desistiu de ser candidato a prefeito em 2020 para apoiar Vérdi Melo, contudo, não esconde que estará nas urnas em 2022 e também em 2024. Serginho pleiteia trazer para sua pasta a gestão das lavanderias comunitárias, o que ampliaria ainda mais sua interação com a comunidade. A estrutura das lavanderias realmente tem relação com a pasta de Serginho e vai fazer do líder do PSC uma figura ainda mais conhecida no meio do povão. Resta saber se o secretário de Governo, que também deseja ser candidato em 2022 e também em 2024, vai permitir que seu “adversário político direto” amplie seus poderes dento do governo. Preocupado com questões externas e vaidades políticas diversas, o secretário de governo não tem visto que muitos dos seus adversários e algozes infiltram sorrateiramente na gestão, ganhando poder e espaço. Não vai demorar para que tenhamos acaloradas discussões e tapas na mesa nas reuniões de segunda do governo municipal. A conferir.


Enviar um comentário

0 Comentários