Pesquisadores da UFMG criam fita adesiva antiviral capaz de matar o novo coronavírus

 


Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desenvolveram uma fita adesiva antiviral capaz de proteger superfícies contra o novo coronavírus.

A tecnologia estava pronta e patenteada e foi instalada para teste no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). O resultado, obtido em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) constatou que ela é totalmente virucida (antiviral) durante 28 dias.

Amostras foram coletadas nos intervalos de 7, 14, 21 e 28 dias e foi constatado que o produto mata os vírus em todos esses intervalos. Inicialmente, o item foi produzido em escala piloto.

De acordo com o pesquisador Rubén Dario Sinisterra, do Departamento de Química da UFMG, um produto criado com conhecimento da universidade pública para resolver problemas da sociedade é um motivo de alegria. Segundo ele, o produto foi desenvolvido em oito meses.

Uma empresa que investiu na pesquisa estuda a venda do material no atacado e no varejo.

G1 MG

Enviar um comentário

0 Comentários