PF faz operação na Saritur para investigar vacinação de empresários em BH

 


A Polícia Federal (PF) realiza na manhã desta sexta-feira (26) a Operação "Camarote" e faz buscas em endereços ligados à empresa Viação Saritur, em Belo Horizonte. A PF apura a aplicação clandestina de vacinas contra a Covid-19, na garagem da empresa de transportes. Os imunizantes teriam sido aplicados em empresários e políticos. 

Nesta quinta-feira (25), a PF já tinha aberto inquérito para investigar o caso. São cumpridos quatro mandados de busca e apreensão expedidos pela  35ª Vara Federal Criminal de Belo Horizonte. Um dos endereços é a garagem da empresa, no bairro Caiçara, na Região Noroeste. Imagens de câmeras de segurança do local serão recolhidas para ajudar nas investigações. 

"A suspeita é de que houve importação irregular de vacinas contra Covid-19 e sua receptação", informou a PF. O fato configura uma série de crimes. 


A Denúncia

Uma servidora municipal da Secretaria de Saúde de Belo Horizonte filmou várias pessoas sendo vacinadas na garagem da empresa. Segundo ela, teriam sido vacinados políticos e empresários. A empresa negou que a garagem pertença a Saritur. 

Na última quarta-feira (24) uma reportagem da revista Piauí revelou que empresários e políticos mineiros tomaram a vacina contra Covid-19 às escondidas. A reportagem cita que os irmãos Robson e Rômulo Lessa, donos da Saritur, teriam organizado a vacinação com o imunizante da Pfizer.

Em nota, a Saritur afirmou que os nomes citados na reportagem da revista não fazem parte de seu corpo societário. "O assunto tratado na matéria é de total desconhecimento da Diretoria da empresa", diz o comunicado.

Enviar um comentário

0 Comentários