PM orienta como evitar ser vítima do crime de estelionato

 


Uma prática criminosa tem crescido nos últimos tempos na região: o estelionato. Criminosos têm usado redes sociais, telefonemas e até mesmo abordagem a pessoas com histórias que muitas vezes acabam levando a vítima a cair em um golpe. Diante do crescimento dessa prática, a Polícia Militar realizou um alerta à população

Uma prática que tem lesado muitas pessoas é a fraude mediante clonagem do aplicativo de mensagens WhatsApp. Neste modelo, o suspeito se utiliza da rede de contatos da vítima e pede que quantias em dinheiro sejam transferidas na conta de uma terceira pessoa. Por se tratar de um contato conhecido da vítima, a mesma repassa valor e só depois descobre que caiu em um golpe.

São vários os tipos de golpes que são praticados, todos com o mesmo objetivo; obter vantagem econômica! Fiquem atentos como os autores se comportam , em todos os tipos de golpes eles possuem um grande poder de convencimento.

Golpes pelas redes sociais estão sendo no momento os mais comuns, principalmente pelo WhatsApp e facebook.


Golpes pelo WhatsApp

Estelionatários utilizam o mesmo número de celular e até fotos de perfil para ludibriar as vítimas e fazer com que acreditem que são realmente pessoas conhecidas.

Ao receber mensagens de familiares, parentes e amigos solicitando transferência bancaria para titularidades de terceiros ou mesmo pagamento de boletos, desconfiem;

Verifique a veracidade antes de efetuar qualquer depósito para pessoas desconhecidas, faça contato via fone, ou pessoalmente;

Não acesse links para participar de promoções ou para cadastros, pois podem ativar vírus para acesso aos seus dados pessoais e redes sociais;

Nunca envie dados de cartões de crédito, senhas ou código de verificação;

Em caso de clonagem do celular, a vítima deve imediatamente registrar um boletim de ocorrência e na sequência avisar seus contatos e familiares sobre a fraude.


Golpe do Cartão de Crédito

Os estelionatários ligam para as vítimas como sendo funcionários de uma instituição bancaria, avisam que foram feito compras ou saques no cartão de crédito, e que é necessário recolher o cartão para cancelar a movimentação indevida.

Os interlocutores avisam que um funcionário do banco vai à residência da vítima para buscar o cartão e orienta que o cartão e o chip deverão ser quebrados, mas antes, por telefone, os autores solicitam o número do cartão, senhas e código de segurança.

Os bancos não solicitam senhas, e não enviam funcionários à sua residência; nunca retornem a ligação no mesmo número do telefone que receberam para confirmar a procedência da informação, faça contato pessoal na agência de seu banco ou ligue diretamente para seu gerente de conta;

Desconfie também de ofertas que lhe trazem vantagens prêmios e sorteios os quais você não participou;

"Não se deixe enganar, estelionatários falam bem, se vestem bem, com alto poder de persuasão", alerta a PM.

Enviar um comentário

0 Comentários