Regiões regridem, e 830 cidades de Minas Gerais estão na onda roxa ou vermelha da Covid-19

 


O Comitê Extraordinário Covid-19 determinou nesta última quarta-feira (10) a regressão das macrorregiões Oeste, Centro-Sul e Sudeste para a onda vermelha do plano Minas Consciente, que define sobre restrições de circulação e funcionamento do comércio. Com isso, são nove localidades neste nível e outras quatro na onda roxa, a mais restritiva, somando 830 das 853 cidades do Estado.

As que estão na onda roxa são: Norte, Noroeste, Triângulo do Norte e Triângulo do Sul. Nessa fase, há toque de recolher durante a noite e só é permitido o funcionamento de serviços essenciais e a circulação de pessoas fica limitada aos funcionários e usuários desses estabelecimentos. O deslocamento por qualquer outra razão deverá ser justificado.

Já na onda vermelha, que atualmente abrange Sul, Leste, Leste do Sul, Vale do Aço, Centro, Oeste, Centro-Sul, Sudeste e Nordeste, todas as atividades podem funcionar, mas com regras de limite máximo de pessoas nos espaços. Jequitinhonha é a única na onda amarela.

Ainda durante a reunião desta quarta-feira, o comitê determinou que as microrregiões de Guanhães, Itabira, Manhuaçu e João Monlevade sigam as recomendações da onda roxa, como toque de recolher das 20h às 5h e aos finais de semana. No último sábado (6), já havia sido determinada a inclusão da microrregião de Ponte Nova na faixa mais rigorosa.

Atualmente, Minas Gerais tem 938.811 casos confirmados de coronavírus e 19.824 óbitos em razão da doença. Na última semana, houve um aumento de 5% no número de infectados e mortes na pandemia.

Fonte: O Tempo

Enviar um comentário

0 Comentários