Vacinação: MG seguirá nova diretriz de não reservar doses para 2ª aplicação

 


Minas Gerais seguirá a nova diretriz do Ministério da Saúde, lançada nesse fim de semana, e não reservará doses de vacinas contra a COVID-19 para a 2ª aplicação. Ou seja, todos os imunizantes recebidos serão utilizados em pessoas que ainda não receberam a primeira dose.

Uma nota informativa da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) foi atualizada com a nova regra. A resolução trata da oitava remessa de vacinas que desembarcou no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na última quarta-feira (17/03). Na ocasião, 509.800 doses de CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac, da China, em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, foram recebidas pela SES-MG.

A nova diretriz segue exatamente o determinado pelo Ministério da Saúde, de que a segunda dose da CoronaVac pode ser aplicada em até quatro semanas e que a pasta federal disponibilizará, em tempo oportuno, os imunizantes. 

O oitavo lote, de acordo com a nota informativa, imunizará 13% das pessoas com 70 a 74 anos de idade, o que equivale a 78.893 vacinados. A remessa também será capaz de atender 87% das pessoas com idades entre 75 e 79 anos, o que equivale a 361.277 idosos de Minas, além de 7% dos trabalhadores de saúde que ainda não receberam a primeira dose, que são 46.864 profissionais no estado.

As vacinas referentes ao oitavo lote já foram enviadas para as Unidades Regionais de Saúde (URS). Nesta segunda-feira (22/03), os municípios iniciaram a retirada de suas respectivas quantidades de doses.

9ª remessa


De acordo com SES-MG, as 542.550 doses recebidas no último sábado (20/03) também serão aplicadas de uma só vez. Na ocasião, Minas recebeu 455.800 doses da CoronaVac e outras 86.750 doses da vacina fabricada pela AstraZeneca/Fiocruz.

De acordo com o informe técnico do Ministério da Saúde que liberou os estados de não reservarem doses para a segunda aplicação, a remessa de vacinas da CoronaVac atenderá aos profissionais de saúde e idosos de 70 a 74 anos, enquanto os imunizantes da AstraZeneca/Fiocruz serão aplicados em moradores de comunidades ribeirinhas e quilombolas.

“A estratégia foi definida considerando o prazo maior para a aplicação da segunda dose da vacina da Fiocruz, que possui um intervalo de 12 semanas entre elas, facilitando o cumprimento do esquema vacinal em locais de difícil acesso”, justificou a pasta federal.

Números de Minas após a aplicação das vacinas da 8ª remessa


• 100% das pessoas idosas (igual ou superior a 60 anos) residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas) - ILPI; 
• 100% das pessoas com deficiência, residentes em residências inclusivas (institucionalizadas), maiores de 18 anos; 
• 100% da população indígena aldeada em terras homologadas, maiores de 18 anos; 
• 100% das pessoas com 90 anos ou mais de idade; 
• 100% das pessoas com 85 a 89 anos de idade; 
• 100% das pessoas de 80 a 84 anos de idade; 
• 100% das pessoas de 75 a 79 anos de idade; 
• 13% das pessoas de 70 a 74 anos de idade;
• 91,3% dos trabalhadores de saúde.

Estado de Minas

Enviar um comentário

0 Comentários