67 presos são diagnosticados com a doença no presídio de Extrema



 A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), confirmou no feriado da última quarta-feira (21), que 67 presos foram diagnosticados com a Covid-19 no presídio de Extrema, no Sul de Minas. De acordo com o órgão, os detentos cumprem quarentena dentro da unidade, acompanhados pela equipe de saúde, e estão assintomáticos ou com sintomas leves da doença. Dois servidores da unidade prisional também testaram positivo para a Covid-19, e cumprem quarentena em casa com sintomas leves. Para evitar a disseminação do vírus, a Sejusp ainda informou que as celas em que os presos se encontram estão isoladas e são rotineiramente desinfectadas.

Prevenção à Covid nos presídios

Todas as pessoas que são presas estão sendo encaminhadas para uma dessas unidades e ficam, pelo menos, 15 dias em quarentena, evitando possível contágio caso fossem levadas de imediato para outras unidades. Após atestada a sua saúde, são encaminhadas para os demais presídios do Estado. No caso de presos que já se encontram no sistema prisional, caso apresentem sintomas da Covid-19, o protocolo é o seguinte: isolamento imediato, realização de exames e, em caso de confirmação, tratamento segundo protocolo da área da Saúde. Além disso, em todas as unidades em que há detentos contaminados, é realizada a desinfecção do ambiente e todos os demais presos passam a usar máscaras, de forma preventiva.


 

Enviar um comentário

0 Comentários