COVID: população precisa colaborar na Semana Santa, alertam médicos

 


Com ocupação geral dos leitos de UTI para COVID-19 em 94,7%, a população de BH precisa colaborar contra uma proliferação em massa do novo coronavírus durante os dias de descanso e evitar um novo colapso do sistema de saúde.

É o que alerta o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed/MG) em nota enviada à imprensa.

 "Ainda é necessário aumentar o esforço da população nas medidas de isolamento social e de precaução individual, redobrando os cuidados durante os feriados da semana santa para que não ocorra novo aumento de casos, o que provocaria uma situação de colapso total", alertou a entidade.

A nota do Sinmed também traz dados sobre a COVID-19 na cidade. O sindicato informa que a ocupação dos leitos de UTI na cidade é de 98%. Nesta quarta, porém, boletim da prefeitura traz o dado de 94,7%.

Ainda de acordo com a entidade, 772 pacientes estão em ventilação mecânica em BH, o que é um recorde na pandemia.

O Sinmed também alerta para um “colapso secundário”. Isso acontece, segundo a entidade, em salas de pronto-atendimento dos hospitais, que estão lotadas de pacientes com COVID-19, sem espaço para assistir pessoas com outras complicações.

“É preciso reconhecer e aplaudir o esforço dos colegas das emergências e das unidades de internação que continuam fazendo um esforço impressionante para manter estabilizados esses pacientes muito graves que aguardam a vaga de UTI”, informa o Sinmed.


Casos e mortes

BH chegou a 3.224 mortes por COVID-19 nesta quarta. São 22 a mais que no balanço anterior.

Só em março, a prefeitura contabilizou 478 vidas perdidas pela virose, o que deixa o mês atrás apenas de fevereiro no quesito.

Já em termos de casos, a PBH registrou mais 1.719 neste último levantamento. Foram 32.477 diagnósticos só no mês passado.

Esse sim, um recorde da pandemia da COVID-19. BH já soma mais testes positivos para o coronavírus neste ano que em todo 2020: 79.551 contra 63.224.


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

Febre

Tosse

Falta de ar e dificuldade para respirar

Problemas gástricos

Diarreia.

Enviar um comentário

0 Comentários