Médicos de Poços de Caldas são investigados pela policia cívil por homicídio culposo

 


A Polícia Civil de Poços de Caldas abriu inquérito para apurar a ocorrência de homicídio culposo decorrente de uma série de erros de quatro médicos do Hospital da Santa Casa da cidade que resultaram na morte de Gustavo Soares de Carvalho Moreno, de 23 anos. Tudo começou no dia no dia 07 de março de 2021, após o jovem se envolver em um acidente no Km 24,7 da rodovia BR-459, no município de Caldas. Gustavo sofreu lesões e foi encaminhado à Santa Casa de Misericórdia de Caldas, onde chegou lúcido e orientado. Posteriormente, diante da necessidade em realizar um enxerto de pele no joelho, a vítima precisou ser transferida para Poços, onde segundo o advogado de defesa da família do jovem disse que aconteceram os erros médicos.  “Na Santa Casa, o jovem foi recebido pelo médico Rafael Machado Nacarato, que solicitou exames de tomografia computadorizada. O profissional medicou o paciente e solicitou a realização de curativo no joelho para avaliação cirúrgica. Porém, o médico não chamou o médico radiologista que estava de plantão e ao avaliar as imagens não observou 11 costelas quebradas, fratura da bacia e cabeça do fêmur e hemorragia no tórax”, disse Fábio Camargo de Souza. Para o jornalismo da rádio Onda Poços, o advogado disse ainda que outros erros foram cometidos por mais três médicos que também atenderam o paciente. “O paciente foi reavaliado pelas médicas Michelly Fernandes Freitas e Natielly Silveira Santos que, também não observaram as fraturas existentes nas imagens de tomografia, bem como as contusões hemorrágicas pulmonares do paciente e, juntamente com o médico Julio Cesar Baiocato, realizaram apenas sutura no seu joelho direito e ministraram medicação para dor. Realizada a sutura, às 10:40h do dia 08 de março, ou seja, apenas 12h após a entrada na Santa Casa de Poços De Caldas, as médicas determinaram a alta hospitalar e  receitaram medicamentos para o jovem, que ao chegar em casa, começou a passar mal e faleceu”, disse o advogado. O laudo de necropsia de Gustavo, constatou que “a morte da vítima ocorreu em decorrência de choque hemorrágico torácico em razão da laceração da veia pulmonar direita, devido a traumatismo contundente torácico por acidente de trânsito”. O delegado Cleyson Rodrigo Brene, responsável pela Delegacia de Homicídios, confirmou que a Polícia Civil determinou a instauração de inquérito policial para apurar a ocorrência de homicídio culposo, quando não há intenção de matar, decorrente de erro dos médicos. Uma denúncia crime também foi aberta junto ao Ministério Público Federal contra dois dos médicos. “Verificou-se, posteriormente, que a médica Natielly Silveira Santos e/ou o médico Requerido Julio Cesar Baiocato, em tese, inseriu(ram) declaração falsa ou diversa da que deveria constar no prontuário médico, alterando a verdade sobre fato juridicamente relevante, ensejando noticia de crime ao Ministério Público Federal, recebida no dia 07/04/2021”, finalizou o Advogado Fábio Camargo de Souza.


 


Enviar um comentário

0 Comentários