América vira sobre o Cruzeiro no fim do clássico e abre vantagem na semifinal

 


Em um clássico bem movimentado, com participação do árbitro de vídeo e direito a vira-vira, o Coelho bateu o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Mineiro. Com o resultado, o Coelho abriu vantagem e poderá perder por até um gol de diferença no duelo de volta, no próximo domingo (9), no Independência, para chegar à decisão do torneio regional.

O experiente atacante Rafael Sóbis fez o gol cruzeirense no primeiro tempo mas, Alê, aos 40 min e Ademir, aos 44 min do segundo tempo, viraram o marcador num fim de partida emocionante. Segundo colocado na primeira fase, o alviverde entrou no embate contra a Raposa, que ficou em terceiro, podendo empatar duas vezes ou perder um jogo e vencer outro pela mesma diferença de gol.

O jogo demorou a engrenar mas, depois, ganhou emoções. Com desvantagem no confronto, coube ao time azul tomar a iniciativa. O Coelho se postou para surpreender nos contra-ataques. Aos 22 min, Fábio fez sua primeira intervenção no chute de Felipe Azevedo. A resposta celeste viria duas vezes com Rafael Sóbis, num chute de longe e num arremate após escanteio. Mas Fábio voltaria a trabalhar outras duas vezes, aos 35 min e 36 min, em conclusões de Rodolfo.

Aos 37 min, Sóbis tiraria o zero do marcador, em lance que precisou da checagem pelo VAR, que passa a ser utilizado na fase final do Campeonato Mineiro. Ainda no primeiro tempo, Bruno José esteve cara a cara com o Cavichioli e perdeu incrivelmente a chance de ampliar o placar para a Raposa, aos 43 min.

Na segunda etapa, foi a vez de Rodolfo perder uma chance clara logo ao 8 min. Livre, ele finalizou mal e acertou o travessão. Do outro lado, Airton chegou a ampliar aos 13 min, mas o VAR achou irregularidade no lance e anulou. Cavichioli trabalharia bem de novo aos 17 min.

Depois disso, o clássico perdeu a intensidade, com o América mais presente no setor ofensivo. Quando parecia que o Cruzeiro sairia vitorioso, Alê empatou aos 40 min, de cabeça, após cobrança de escanteio e, Ademir, viraria o placar aos 44 min.

Fonte: O TEMPO

Enviar um comentário

0 Comentários