Copasa poderá reduzir o valor da taxa de esgoto a partir de agosto



 A Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG) anunciou que pretende extinguir a tarifa de tratamento de esgoto e definir uma única taxa para o serviço fornecido pela Copasa a partir de agosto.  A ação deve gerar uma economia de 6 a 15% no valor da conta de água, dependendo do volume consumido na residência. 

A ideia da Arsae-MG é que o usuário pague 74% do valor cobrado pela água, em vez de 100%, como acontece hoje. Estas propostas serão apresentadas em uma consulta pública que será debatida em uma audiência virtual  hoje, sexta-feira (7), a partir das 14h. 

 A sessão vai tratar da segunda Revisão Tarifária Periódica da Copasa e a terceira Revisão Tarifária da subsidiária Copanor (responsável pelo abastecimento na região Norte do Estado). 

A audiência pública será transmitida pelo Youtube para pessoas inscritas. Para participar, é preciso fazer a inscrição até o início da transmissão pelo e-mail consultapublica23@arsae.mg.gov.br, fornecendo dados obrigatórios (nome completo, telefone e e-mail de contato).

 O link será enviado por e-mail. O período de recebimento de contribuições da Consulta Pública prossegue até o dia 20 de maio através do e-mail consultapublica23@arsae.mg.gov.br por meio do encaminhamento de formulário preenchido, cujo modelo está publicado no site da consulta pública.


Redução na conta e uso racional da água

Existe uma pressão social para que a conta de água fique mais barata para os usuários por causa dos impactos provocados pela pandemia de Covid-19. A agência propõe ainda uma alteração nas tarifas usadas pelas empresas responsáveis pelo serviço em Minas, para aperfeiçoar o incentivo ao consumo racional da água e melhorar o entendimento do usuário sobre a cobrança pelos serviços de água e esgoto. Se aprovada a proposta, haverá redução nas contas dos que usam menos e aumento para aqueles que consomem mais, causando impacto especialmente nas contas pagas pela classe média.

Atualmente, o metro cúbico de água tem um preço que sobe gradualmente, conforme o volume consumido – de R$ 1,50 a R$ 16. As mudanças devem ser confirmadas até junho. 

Enviar um comentário

0 Comentários