Governo estuda como viabilizar recursos para vacina anunciada por ministro, diz secretário da Economia

 


A equipe econômica do governo estuda uma forma de viabilizar recursos no Orçamento deste ano para financiar as pesquisas da vacina contra a Covid capitaneada pelo Ministério da Ciência e Tecnologia.

O projeto da vacina foi anunciado em março pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, no mesmo dia em que o Instituto Butantan também anunciou que está desenvolvendo uma vacina brasileira, a Butanvac.

De acordo com o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, o financiamento da vacina anunciada pelo governo é um projeto prioritário. Ele participou de audiência no Senado pública na Comissão Temporária de Acompanhamento da Covid-19 do Senado Federal.

"Já está em estudo quais procedimento para recomposição dessa dotação [da vacina brasileira]. É um assunto prioritário na agenda, vai ser discutido. Não posso antecipar, mas afirmo que esse é um assunto prioritário, estará na Junta de Execução Orçamentária [formada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos]. Existem pelo menos três alternativas para serem desenhadas", disse Waldery, sem explicitar como isso será feito.

               

Pesquisas

O estudo da vacina é apoiado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, por meio de contratação de grupo de pesquisa.

Porém, a pesquisa foi afetada por vetos presidenciais e bloqueio nos gastos públicos, totalizando quase R$ 30 bilhões, necessários para ajustar a peça orçamentária de 2021 - após os parlamentares terem inflado fortemente suas emendas (valores que eles têm para obras em suas cidades).

 No fim de abril, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, usou a palavra 'estrago' ao mencionar o Orçamento de 2021 e os cortes que atingiram sua pasta.

"Por que estou tão preocupado com Orçamento? Coisas essenciais neste momento como vacina nacional, centro nacional de vacinas, como remédios nacionais, dependem, obviamente, de orçamento. Não dá para fazer isso sem orçamento", disse ele, na ocasião.

Na audiência, Waldery afirmou que o corte adicional de recursos para a vacina brasileira, implementada pela área econômica, não estava "explícito" no momento em que o veto presidencial aos recursos foi feito.

 

Estágios das vacinas

Na semana passada, o Butantan informou que vai começar a produzir a Butanvac. Na segunda-feira (26), o instituto protocolou na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido para iniciar os teste clínicos em humanos de fase 1 e 2 do imunizante.

A vacina anunciada pelo governo ainda não pediram autorização para testes em humanos.

G1 Política

Enviar um comentário

0 Comentários