AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Andradas é destaque na produção de rosas



 Localizada em uma região privilegiada, em clima e altitude, Andradas (MG) concentra a maior parte da produção de rosas do país. As flores que são produzidas no município têm características diferenciadas, como hastes e tamanho superiores às demais cultivadas em outras áreas de plantio. Por dia são colhidas em média 400 mil rosas, vindas de terras de doze propriedades, totalizando cerca de 120 hectares de plantio na cidade.

A colheita das rosas é realizada todos os dias. O cultivo envolve várias etapas que vão desde o preparo de mudas com porta-enxerto, levando cerca de seis meses até a brotação da rosa. A demanda da produção pode variar de acordo com as estações do ano, pois no verão o ciclo de cultivo leva em torno de 55 dias e no inverno em média 80 dias, ou pelas datas sazonais. 

“Para que não haja riscos de perda, nós não fazemos poda geral e em grande quantidade, e o clima pode até influenciar em perdas drásticas”, afirmou o produtor de rosas da Fazenda Vale das Flores, Anderson Esperança. Por ser a maior produtora de rosas do Brasil, Andradas é responsável por enviar rosas à Holambra, cidade localizada no interior do estado de São Paulo, e lá as flores são distribuídas para diversas cooperativas pelo país. A venda das rosas contribui tanto para o mercado varejista quanto atacadista, e de acordo com a representante comercial do Grupo Reijers, Sarah Fabiana, a fazenda oferece 28 variedades. 

“A procura e a demanda das rosas vermelhas são maiores em determinadas épocas, como no Dia das Mães, mas todas as cores são bem aceitas e procuradas no mercado. Branca, rosa, laranja, a gente tem uma procura bem positiva”, afirma. Com o cenário pandêmico, os produtores de rosas também tiveram que se reinventar para sobreviver. O auxílio do governo foi um dos recursos que ajudou os produtores a compensar a redução salarial e carga horária nesse período. Anteriormente, as flores possuíam uma alta demanda no mercado atacadista, 70% das vendas eram voltadas para o segmento de decorações de festas, mas com o início da pandemia essa porcentagem zerou. Os produtores de rosas também foram atrás de diferentes estratégias para se manter no mercado, sendo uma delas, aumentar a participação no varejo, pois as lojas continuam abertas para vendas de flores. 

O produtor de rosas, Anderson Esperança, comenta que a pandemia trouxe muitos desafios para o setor. “Ainda temos algumas dificuldades e está muito difícil pagar as contas pelo volume de vendas que estão longe do que era antes da pandemia, mas está havendo melhoras e a gente sempre tem que acreditar e trabalhar para isso.

 Nós visualizamos que o mercado vai voltar forte e pode até faltar flores, então estamos trabalhando para mantermos as plantas em dia e saudáveis para colhermos os frutos a médio e longo prazo”, finaliza.




 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.