Após 1 mês do retorno das aulas presenciais, escolas particulares voltam para o ensino remoto



 Na última quinta-feira, 3 de junho, o retorno das aulas presenciais em Varginha completou um mês. A maior parte das escolas particulares optaram pelo início das atividades no sistema híbrido.

Um mês depois, vários profissionais de educação e alunos das escolas particulares testaram positivo para a Covid-19 e para seguir os protocolos sanitários estabelecidos pela Vigilância Sanitária de Varginha, houve afastamento de profissionais, suspensão das atividades em turmas específicas e até suspensão das aulas presenciais em toda a unidade de ensino.

O Colégio Logos retornou as aulas presenciais no dia 10 de maio. A escola não registou nenhum caso positivo de Covid-19, mas por medida preventiva, decidiu suspender as aulas presenciais no dia 26 de maio e manter as atividades 100% online, sem previsão de retorno ao sistema híbrido. “Não tivemos nenhum caso de Covid-19 no Logos, mas achamos mais prudente agora cuidar da vida de todos”, ressalta Débora Ribeiro, diretora pedagógica do Logos. Ela reforça ainda que o retorno ao sistema híbrido será avaliado mediante a pronunciamento das autoridades municipal, estadual ou federal.

O Colégio Batista suspendeu as aulas no dia 21 de maio, após professores e alunos testarem positivo para a Covid-19. Em nota oficial, enviada para a redação do Varginha Digital, a direção do colégio afirma que as aulas presenciais permanecerão suspensas até nova análise.

Santos Anjos suspendeu as aulas no Ensino Médio. O restante das turmas continuam com as atividades no sistema híbrido. Colégio Adventista afastou quem testou positivo para a Covid-19. Alpha e Sesi estão atualmente com ensino remoto. Devem retornar para as atividades nos sistema híbrido nas próximas semanas. O Colégio Marista está com as aulas presenciais suspensas, mantendo o ensino online.


Se houver casos suspeitos ou confirmados de Covid-19 as escolas deverão:

Na apresentação de alguma suspeita ou sintoma, a pessoa ficará isolada em uma sala já sinalizada e preparada;

O colégio entrará em contato com um responsável para buscar a pessoa isolada, que será conduzida por um único funcionário do colégio até o portão de saída; Perante a confirmação do caso, a escola se encarregará de fazer divulgação para toda a sociedade (inclusive alunos e pais) e notificará imediatamente as autoridades locais de saúde sobre o ocorrido;

Se detectado um caso suspeito ou confirmado, todas as pessoas que obtiveram contato direto com o indivíduo devem ser afastadas durante o prazo de 14 dias e com devido monitoramento;

Na ocorrência de um ou mais casos suspeitos ou confirmados, no qual os envolvidos convivam na mesma sala de aula e não tenham tido contato com outras turmas, as aulas presenciais nesta sala serão suspensas por duas semanas (14 dias) e todos os outros contatos próximos deverão ser monitorados durante este período;

Na ocorrência de um ou mais casos suspeitos ou confirmados no qual os envolvidos sejam de salas diferentes ou tenham tido contato com outras turmas no mesmo turno escolar, as aulas presenciais de todo o turno serão suspensas por duas semanas (14 dias) e todos os contatos próximos deverão ser monitorados durante este período; Na ocorrência de um ou mais casos suspeitos ou confirmados no qual os envolvidos sejam de salas diferentes ou tenham tido contato com outras turmas em outros turnos, as aulas presenciais de todo o colégio serão suspensas por duas semanas (14 dias) e todos os contatos próximos deverão ser monitorados durante este período; Se em uma mesma sala ou qualquer ambiente compartilhado houver 3 ou mais casos confirmados, será caracterizada situação de surto, que será notificado imediatamente, no máximo em 24 horas, ao CIEVS; Os responsáveis pelo aluno supostamente contaminado ou um dos colaboradores receberá orientação para procurar o serviço de saúde de referência, conforme os protocolos de Vigilância Epidemiológica e Saúde do Trabalhador do município;

O colégio exigirá a apresentação de atestado médico para certificar-se de que a pessoa está (ou não) contaminada; Será exigido a apresentação do resultado do exame feito e concluído referente ao contágio da COVID-19 (negativo ou positivo);

A pessoa afastada por suspeita ou confirmação pela COVID-19 deverá se ausentar do colégio, obedecendo o período de isolamento até ter condições garantidas de que pode retornar às suas atividades, inclusive escolares.

Fonte: Varginha Digital

Enviar um comentário

0 Comentários