AS ULTIMAS

POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Após levantar suspeitas sobre a gestão de hospitais federais do Rio na CPI, Witzel revelou que o 'dono' deles é Flávio

 


O ex-governador Wilson Witzel (PSC) não esperou a reunião secreta na CPI da Covid para revelar o nome de quem ele aponta como dono dos hospitais federais do Rio de Janeiro. Logo após o depoimento nesta quarta-feira (16), numa conversa com integrantes da CPI, ele nominou: "O dono é o Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ)".

À CPI, em público, Witzel disse ontem que os hospitais "tem um dono, e esta CPI pode descobrir quem é o dono". Depois, em privado, afirmou que o dono é Flávio. O ex-governador insinuou que filho do presidente manda e desmanda, inclusive indicando fornecedores.

Os dois discutiram durante o depoimento de Witzel à CPI. Enquanto o senador acusou o ex-juiz de usar a comissão como palanque político, Witzel chamou Flávio de "mimado" e acusou o governo federal de perseguir governadores e interferir no enfrentamento da Covid.

 Aliás, as iscas que Witzel ofereceu para investigação de supostos desvios na rede federal hospitalar do Rio foram considerados importantes pelo presidente da comissão, o senador Omar Aziz (PSD-AM): "Muito senadores governistas clamam por investigações de desvios de verbas federais. Está aí um bom caminho".

Horas depois de revelar o nome (que não casou surpresa para quem conhece os meandros da política do Rio), a defesa do ex-governador Witzel pediu à CPI que providenciasse segurança para ele. A ex-primeira-dama, Helena Witzel, ficou preocupadíssima com o tom adotado pelo marido no depoimento. O vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que a comissão irá solicitar escolta para o ex-governador.

G1 Política

 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.