AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Cidades turísticas encaram desafio de retomar a atividade sem aglomeração



 Às expectativas do feriadão de Corpus Christi, municípios e regiões de Minas Gerais que têm o turismo como fonte de sustentação da economia reforçam os cuidados e protocolos para evitar aglomerações as quais favorecem a contaminação pelo coronavírus durante os quatro dias de folga influenciados pela data cristã. As igrejas barrocas de Ouro Preto, os museus de Mariana, o charme dos atrativos típicos de Tiradentes, três cidades históricas da porção central do estado; o frio convidativo de Monte Verde, no Sul, e as cachoeiras de Santana do Riacho, na Serra do Cipó,  exigem cautela aos turistas. A maior parte desses locais encontra-se na onda vermelha do programa Minas Consciente – etapa que permite o funcionamento do comércio de produtos e serviços não essenciais, de ativos culturais, naturais, hotéis, atividades esportivas e eventos. Contudo, há limitação a 50% da capacidade de atendimento de hotéis e a 30% de público em eventos.

 A histórica Ouro Preto, acostumada a receber milhares de visitantes nas celebrações de Corpus Christi, seguirá a programação do feriado com medidas para conter aglomerações. Uma delas é restringir a confecção dos tradicionais tapetes de serragem feitos na data em apenas dois locais e com a presença somente dos servidores da prefeitura. Diferentemente da Semana Santa, as entradas da cidade não terão barreiras sanitárias neste feriado. Segundo o secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Rodrigo Câmara, a legislação vigente na cidade poderá multar as pessoas que não usarem corretamente a máscara de proteção  em qualquer espaço público. “Os hotéis e pousadas da cidade e dos distritos poderão receber apenas 50% do público, e, além disso, criamos a Campanha Turismo Legal, que alerta os turistas para que sigam os protocolos de segurança e tenham um comportamento elegante de forma que a cidade fique segura tanto para os moradores quanto para eles ao retornarem para suas cidades”.  O departamento de fiscalização da Secretaria de Defesa Social de Ouro Preto fará  ação conjunta com a Polícia Militar com objetivo de evitar e coibir aglomerações durante os dias do feriadão. Em Mariana, não haverá procissão e as missas devem ser agendadas com a Arquidiocese local. As restrições não vão impedir a celebração do feriado, já que a Rua Direita, a mais conhecida da cidade, será enfeitada com os tradicionais tapetes de serragem e decoração nas sacadas das construções. “A gente não consegue movimentar muita coisa por conta da pandemia”, explica Andréa Cristina Umbelino, secretária municipal de Cultura, Patrimônio Histórico, Turismo e Lazer. Na cidade histórica, apenas o museu Casa de Alphonsus de Guimarães estará aberto, mas tem entrada limitada a grupos de até quatro pessoas. A abertura gradativa, de certa forma, gera alívio à cidade. “O movimento foi afetado pela pandemia, mas aos poucos a gente está sentindo que está retomando, o turista está se sentindo mais confiante dos nossos cuidados”, diz a secretária.


Fonte: Estado de Minas



 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.