Coluna - Luiz Fernando Alfredo 08/06/2021



 As três vozes mais irritantes do Brasil no momento

As vezes julgamos mal as pessoas sem mesmo conhece-las, logo somos obrigados a fazermos o mea-culpa por termos enganados. Todos nós temos antipatia gratuita, simplesmente por não gostarmos da aparência, do andar, do comportamento, enfim, em função de um preconceito qualquer, talvez por um mecanismo inconsciente de auto defesa. 
Da mesma forma, qualquer pessoa perceptiva reconhece de pronto uma pessoa que não vai com a cara dela pelos mesmos motivos citados acima; nota-se facilmente, tão logo tentamos entabular uma conversação e sentimos nas respostas no  semblante do interlocutor que  “o mar não está para peixe” daí, temos duas alternativas, sair de fininho ou com psicologia tentarmos  “quebrar o gelo”, é evidente que não iremos exemplificar, pois achamos que é um procedimento muito individual, mas com certeza existem habilidades inata de certos indivíduos que conseguem êxitos.
Fizemos esta citação tipo, mostrando os dois lados da moeda com intuito de ilustrar situações que aguçam nossos sentidos, negativa e ou positivamente e nada podemos fazer.
Vejamos a CPI da covid 19, na verdade da cloroquina, temos certeza absoluta que todos que assistiram às sessões do Senado, se irritaram com as vozes de Omar Aziz, Renam e muito mais do Randolfinho e ainda numa atitude de agressão, estes ruídos ficam piores fazendo qualquer um perder o controle, manifestando ainda que mentalmente, todos os tipos de impropérios e desejos não convencionais. Irritante!!!!!!!!
Agora imaginem, caros leitores, se temos ouvido, estômago ou nervos para ouvirmos estas vozes dos vagabundos citados, ainda mais quando parecem três trombetas desafinadas tocando simultaneamente numa atitude quase de estado belicoso. Que nojo destes três patetas canalhas e vagabundos!
Por outro lado, ouvindo as Doutoras Mayra Pinheiro e Nise Yamaguchi, dando aulas de medicina e ética com competência, tranquilidade e coragem; uma verdadeira apologia à inteligência emocional! Um show de adestramento de três jumentos afogando-se numa enciclopédia médica sonora.
Renan, o nordeste já deu ao Brasil tantos gênios, no entanto você é uma excrescência com dois vizinhos quadrúpedes. 
A propósito, blindagem é igual a estabilidade de servidores para àqueles de caráteres duvidosos, camuflam sua “coragem” sem pensar nas consequências. Vejam a maioria de nossos professores, até hoje escondendo-se sua má vontade ou mmedo, atrás de um sindicato, cuja autoridade limita-se a uma simples assembleia dos sindicalizados; se os sindicalizados decidirem é o suficiente para acabarem com a volúpia descabida dos líderes. Temos que cuidar das nossas crianças, já perderam demais. 
Precisamos mudar!!! Temos que respeitar e honrar a vontade política do Prefeito, ainda mais que a determinação é justa, legal e de ordem social relevante.
A dor física nivela todos nós, independente de quem somos, onde trabalhamos, as propriedades que temos, nossa intelectualidade, nossa estética corporal, raça, não há distinção nenhuma. A pequena diferença, embora de grande importância, é que achamos que a dor do outro é menor do que a nossa porque a empatia, é uma virtude muito difícil de cultuar, somos inconscientemente egoístas, pois nossos instintos de sobrevivência têm prevalência sobre qualquer outro sentimento – não fosse assim não haveria competições negativas. Reagir pensando em todas as dores, é uma atitude missionária e grandiosa, ainda que o sistema seja resistente e quase intransponível, podemos ultrapassa-lo.

Enviar um comentário

0 Comentários