AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Índice da cesta básica sobe pelo terceiro mês consecutivo em São Lourenço




 O Índice da Cesta Básica de São Lourenço (ICB – FUSAL/UNIS) apresentou alta pelo terceiro mês consecutivo. Entre o mês de maio e junho a alta registrada foi de 1,43%. Desde o início da pesquisa em março deste ano, a cesta básica na cidade acumula alta de 6,53%.

A pesquisa ocorre por meio da coleta de preços de 13 produtos que compõem a cesta básica nacional de alimentos nos principais supermercados da cidade, tendo por base a metodologia estabelecida pelo DIEESE a nível nacional. A atual sondagem demonstra que neste mês de junho o valor médio da cesta básica nacional de alimentos para o sustento de uma pessoa adulta na cidade de São Lourenço é de R$571,23, correspondendo a 56,14% do salário mínimo líquido. Dessa forma, o trabalhador que recebe um salário mínimo mensal precisa trabalhar 114 horas e 15 minutos por mês para adquirir essa cesta.

Entre os meses de maio e junho, dos 13 produtos componentes da cesta básica pesquisada em São Lourenço, 10 apresentaram alta dos preços médios: tomate, leite integral, óleo de soja, manteiga, pão francês, feijão carioquinha, açúcar refinado, carne bovina, café em pó e farinha de trigo. Três produtos tiveram queda em seus preços médios: batata, banana e arroz.

Esta última pesquisa permitiu verificar que a chegada da nova safra de alguns hortifrutigranjeiros como batata e banana contribuiu para que a elevação do índice da cesta básica fosse menos intensa. Porém, cabe destacar dois fatores: essa safra de inverno dos hortifrutigranjeiros é mais restrita e volátil o que pode gerar choques nos preços destes produtos no curto prazo; e a continuidade do aumento nos preços de produtos como carne bovina, óleo de soja e leite integral reforçam a previsão de que a cesta básica continuará impactando fortemente o orçamento das famílias no médio prazo.

Conforme estamos salientando em outros relatórios neste mês, ações e políticas governamentais precisam ser realizadas para minimizar esses impactos, como por exemplo: queda na taxa de câmbio, incentivo à produção regional e venda para o mercado interno, bem como a retomada da política de estoques reguladores de alguns produtos.


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.