AS ULTIMAS

POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Irritado com barulho, policial ameaça família e faz disparos em condomínio



 Um policial civil armado ameaçou uma família que se reunia em um apartamento do condomínio das Camomilas, no bairro Cidade Jardim, em Pouso Alegre, no último domingo, 20. De acordo com relatos de moradores, o homem teria se irritado com o barulho e foi até o apartamento tirar satisfação com a família. Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, o policial civil aparece em frente a porta do apartamento segurando uma pistola sob as costas. 

Ele manda os moradores fazerem silêncio. “Cala a boca aí. Eu quero silêncio aí, agora”, pede o policial. Nesse momento, ele fica de frente com uma mulher que segura um bebê nos braços. Os moradores tentam contemporizar. O policial, então, se vira e começa a descer as escadas. Nesse momento, a pessoa que está registrando as imagens diz que ele está armado. O policial se vira e aponta a arma para os moradores duas vezes, enquanto diz palavras ininteligíveis."Por conta de voz alta, o agressor chegou intimidando com uma arma. No vídeo não mostra desde do início mas ele puxou minha prima com o filho dela armado e eu entrei na frente levando a arma na cabeça”, relatou nas redes sociais uma pessoa que estava presente no local.  Por segurança, a identidade dos envolvidos será preservada. “Eu estava com a minha prima na pracinha, com o neném dela. A gente ficou sentado lá à tarde. Aí, escureceu, começou a fazer muito frio, a gente entrou no apartamento.

 Quem estava lá era o pai do bebê, a prima dela e o meu amigo que ia levar eu de Uber para poder ir trabalhar”, conta uma integrante da família. A mãe do bebê até admite que o tom de voz no apartamento poderia estar elevado, mas questiona a violência do policial. “Eu acho que a gente estava até assim… errado, estava conversando alto, mas nada justifica o fato do senhor ter ameaçado a gente. Ele bateu na porta, ameaçando que ia dar tiro em todo mundo e eu com o meu filho no colo, ele apontando para a minha direção”, relata. Ainda de acordo com os relatos, o policial teria aplicado uma gravata em um dos presentes no apartamento e o ameaçado com arma. Os moradores do prédio começaram a sair de seus apartamentos para saber o que estava acontecendo. “Com muito custo, nós conseguimos sair daqui, do bloco onde eu moro.

 E nisso, quando eu sai lá fora, ele já estava com outra arma, uma arma grande (…) ligamos para a polícia. Nesse tempo, ele começou a dar tiro”, conta a moradora. O policial é um escrivão lotado na Delegacia de Polícia Civil de Pouso Alegre. Ele foi preso em flagrante, mas acabou liberado após pagamento de fiança. De acordo com a PC, ele “foi autuado em flagrante por disparos de munição anti-motim (não letal)”. Ainda conforme a PC, “o autor responderá, no âmbito penal, por disparo de arma de fogo. As armas foram recolhidas”. A corporação afirma que uma sindicância administrativa será instaurada “para as devidas apurações e sanções disciplinares cabíveis”. Moradores do condomínio afirmam que esta não foi a primeira vez que o policial fez ameaças no local com o uso de arma de fogo.



 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.