Minas Gerais e Reino Unido: negócios e parcerias



O embaixador do Reino Unido no Brasil, Peter Wilson, acompanhado do cônsul do Reino Unido em Belo Horizonte, Lucas Brown, foram recebidos pelo presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, nesta quarta-feira, dia 9/6, na sede da FIEMG, em Belo Horizonte. Na pauta do encontro, o panorama econômico do país, a questão ambiental brasileira, as reformas tributária, administrativa e as potencialidades de Minas Gerais na geração de energia de fontes renováveis.  

De acordo com o governo, Minas Gerais atraiu de janeiro de 2019 a abril de 2021 cerca de R$ 121 bilhões. Com a adesão do Estado na campanha Race to Zero (Corrida para o Zero), as oportunidades de novos investimentos são amplas com destaque para a geração de energia.  

Para o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, o estado tem a oportunidade de ampliar os investimentos em empreendimentos que tenham como base a sustentabilidade do negócio, a diversificação tecnológica para a redução da emissão de gases de efeito estufa, além de novas bases energéticas. Peter Wilson ressalta que os investidores internacionais procuram outras opções de produção de energia, como a solar e eólica, e Minas Gerais apresenta muitas oportunidades.  

Minas Gerais adere à campanha Race to Zero 

Reafirmando o pioneirismo na gestão ambiental e econômica, Minas Gerais se tornou o primeiro Estado da América Latina e do Caribe a aderir à campanha Race to Zero (Corrida para o Zero). O governador Romeu Zema e o embaixador do Reino Unido no Brasil, Peter Wilson, com a presença do presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, formalizaram o acordo nesta quarta-feira, dia 9/6.  

O Race to Zero é uma campanha global para reunir lideranças com objetivo de alcançar emissões líquidas zero de gases de efeito estufa até 2050, o que deverá limitar o aumento da temperatura global a 1,5 grau. A meta será alcançada por meio da intensificação de ações de descarbonização, da atração de investimentos para negócios sustentáveis e para a criação de empregos verdes. Desta maneira, será possível viabilizar um cenário de desenvolvimento socioeconômico inclusivo e sustentável. Atualmente, cerca de 30 diferentes regiões no mundo participam da campanha. 

 

Enviar um comentário

0 Comentários