AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Pandemia volta a acelerar em Pouso Alegre com 870 casos e 8 mortes na semana



Depois de um período de recuo nos índices de novos casos e mortes, Pouso Alegre volta a registrar piora nos números da pandemia. A cidade encerrou a última semana, com 870 novos casos da doença e 8 mortes atribuídas à Covid-19. Na semana anterior, haviam sido 601 casos e os mesmos 8 óbitos.

Em média, a cidade registrou 124,2 casos da infecção por dia. É o pior cenário desde 16 de abril, quando esta média móvel estava em 171.

A média diária de mortes para o mesmo período ficou em 1,14, bem abaixo do pico de 6,4 óbitos diários atingido nos dias 10 e 11 de abril, mas ainda em um nível acima dos períodos menos críticos da crise de saúde, quando esse indicador permaneceu sempre abaixo de 0,5.

O último boletim da semana foi divulgado no último domingo, 06. Ele é referente a sexta-feira, 04, mas também engloba os número do dia 3, data para a qual não foi divulgado boletim. De acordo com o levantamento, nesses dois dias, a cidade registrou 289 novas infecções e 3 mortes.

No acumulado da pandemia, a cidade soma 18.376 casos de Covid-19, dos quais 17.052 se referem a pessoas que já teriam se recuperado da infecção e outras 966 seguem em acompanhamento. Ao todo, 358 vidas foram perdidas para a Covid-19, 278 delas apenas em 2021.


Internações

O número de internações por Covid-19 manteve alguma estabilidade ao longo da semana, encerrando o período com 119 pacientes recebendo cuidados hospitalares por conta da infecção, depois de ter iniciado com 116. Na semana anterior, eram 121.

A ocupação de leitos clínicos ficou em 73%, com 68 de 92 vagas ocupadas. Nas alas de UTI, a lotação relativa é de 89%, com 51 de 57 vagas ocupadas. O setor opera há 11 dias dentro de sua capacidade regular de atendimento.

Dos 119 pacientes em hospitais de Pouso Alegre diagnosticados com Covid-19, 78 são de Pouso Alegre e 41 de outras cidades da região


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.