AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Seringa incompatível pode ter comprometido vacinação de 194 mil pessoas em Minas



 O uso de agulhas e seringas inapropriadas para aplicar as doses da vacina contra a Covid-19 Coronavac, do Instituto Butantan, fez o município de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, deixar de imunizar ao menos 5.000 pessoas com duas doses. 

Isso porque, segundo a prefeitura local, os equipamentos não conseguiriam extrair totalmente as dez doses contidas em cada uma das ampolas da vacina, restando o equivalente a uma aplicação dentro do frasco. 

Os aplicadores, segundo a prefeitura, foram encaminhados pelo governo do Estado. Pelos cálculos do Executivo local, as seringas desperdiçam cerca de 10% das doses contidas na ampola.

A conclusão consta em ofício encaminhado pela prefeitura de Juiz de Fora ao governo do Estado, que revelou a inaptidão das seringas. No texto, o Executivo municipal pedia para que as doses fossem reencaminhadas.

 Em nota, a prefeitura local explica que, “em relação às 10.769 doses de perda técnica da vacina da Coronavac, (...) isso se deve às características técnicas da seringa utilizada”. 

“Tais seringas não possuem as agulhas do tipo ‘volume morto’, que evitam que haja acúmulo do líquido”, afirma, completando: “o que proporciona a referida perda técnica”. 

“Desse modo, o volume aspirado de dentro dos frascos não corresponde ao número de doses previsto”, conclui.


Fonte: Tv Minas.com


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.