AS ULTIMAS

POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Coluna do Luiz Fernando Alfredo - 15/07/2021

Onde estarão os pensadores do Brasil?


 Após a revolução de 1.964, quando os militares assumiram o governo brasileiro, a pedido da população e instituições, para que se evitasse o perigo da implantação de comunismo no Brasil, trouce uma cisão entre extremistas (comunistas) e militares e deixou algumas rusgas entre simpatizantes da esquerda e da direita.

Bem, não vamos voltar ao passado, mas o que se pensava, após a intentona comunista protagonizada pela situação daquela época e represada pelos militares, era que, logo o poder seria devolvido aos civis. Demorou-se bem mais do que às expectativas dos partidos, que queriam de volta a democracia.

Segundo estudos, nossa democracia deve estar em quadragésimo nono lugar no “ranking” mundial, portanto, longe das melhores, mas é a que conseguimos com a promulgação da Constituição de 1.988.

Após a eleição de Fernando Collor de Melo, como Presidente do Brasil, o caçador de marajás, eleito pela Rede Globo, o qual disputou com Luís Inácio Lula da Silva, pensávamos que o brasil estaria bem longe do cachaceiro, despreparado, mentiroso e extremistas.

Nada disto aconteceu, Collor com sua arrogância desprezou o congresso e quis governar sozinho, foi então que o antro de perdição chamado Brasília o expurgou rapidamente, por motivo muito simples, tanto que ele foi inocentado pela justiça. Color que parecia ser de direita, foi substituído por Itamar Franco, que até então parecia de centro de direita.

Itamar Franco elegeu Fernando Henrique que disputou com Lula, e em função do seu legado com o “Plano Real”, privatizações e a lei de responsabilidade fiscal o tucano governou o país por oito anos e foi sucedido pelo mentiroso. FHC nunca apanhou tanto de ninguém, como apanhara de Lula, tanto que ele jamais se cogitou a nenhuma candidatura. E hoje, estranhamente está desnorteado, o nosso traidor FHC.

Enquanto o mentiroso exercia seu mandato, seguindo os parâmetros econômicos legado por FHC, o Brasil foi bem, mas o Lula após metade de seu primeiro mandato, em dificuldades com o congresso Nacional, criou o mensalão para conseguir governar com mais tranquilidade, no entanto foi denunciado pelo “Crápula do bem” Roberto Jeferson, que fez o correto, mas foi muito infeliz ao expressar a sua pior frase na tribuna do Congresso; não sabemos se por consciência pesada, remorsos o outra coisa qualquer, Jefferson tocou o trombone bem alto entregando uma grande quadrilha e excluiu Lula. Salvo engano a denúncia feita foi mais ou menos nestes termos: “Estão pagando parlamentares para votar com o governo, o principal articulador é o José Dirceu, porém o Presidente Lula nada sabe, pois ele é um homem honesto, que não merece estar cercado por gente desta espécie”. 

Grande legado Senhor Roberto! Lamentável foi o senhor ter “viajado na maionese”, porque naquela hora livrou-se a pior escória humana existente no Brasil, de um “impeachment”.

Uma vez livre o sujeito terminou seus governos com alta popularidade deixando para Dilma, muitas sujeiras debaixo do tapete e o país preparado para o maior esquema de roubalheira jamais visto: O Petrolão, BNDES e desperdício de recursos com países comunistas e outras mazelas. Lógico, que a popularidade do traidor foi conquistada a peso de ouro, enterrado no CNPJ da grande mídia.

Ato contínuo, muitos ladrões presos, verdadeiros figurões, inclusive dois ex Presidentes e o Brasil inteiro caiu no descrédito, a ponto de eleger o menos cotado pelas lideranças, Instituições, Imprensa, enfim a maior “zebra” de todos os tempos. E não é que a Zebra vai bem, apesar que debaixo de chicotes, vinte e quatro horas por dia, acusações infundadas, mentiras, armadilhas e traições de muitos hipócritas.

Já escrevemos, lógico para o bem do Brasil, precisa-se de aprovar o melhoramento das urnas eletrônicas, fazer um pacto para governabilidade democraticamente legítima de Bolsonaro até às próximas eleições e depois vencerá a vontade do povo, simples assim, parece-nos a coisa certa a fazer.

Estamos achando muito esquisito a omissão dos grandes pensadores do país? Do que a maioria tem medo? O Brasil precisa de suas opiniões abalizadas, esclarecedoras, pois às emoções do momento estão neutralizando a razão. Afinal nossa pátria está na corda bamba por simples vingança, ódio descabido, ativismos proibidos, algumas leis não cumpridas e medo do comunismo, mas ainda vale a pena lutarmos.

Que Deus proteja o Brasil e às vítimas da pandemia!



 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.