AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Câmara de Vereadores arquiva Projeto de Lei que poderia destinar mais de um milhão à Casserv



Na noite da última quarta-feira (25), os vereadores da Câmara Municipal de Varginha votaram sobre o Projeto de Lei que poderia destinar 1.080.000,00 à Caixa de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos da Prefeitura Municipal de Varginha-MG, das Fundações, Autarquias e Câmara Municipal (Casserv).

Após discussão e votação durante a sessão ordinária, o parecer contrário da Comissão de Justiça, Legislação e Redação Final foi aprovado por oito votos a quatro. Somente os vereadores Rodrigo Naves (PSB), Dr. Lucas (PSB), Dr. Guedes (PTB) e Bebeto do Posto (PSL) votaram contra. Já os vereadores Carlinho da Padaria e Reginaldo Tristão abstraíram seus votos.

O PL foi arquivado pois a Casserv recebeu em 2020, uma subvenção social de R$960.000,00, sendo que foram prestadas contas somente de R$327.877,37 (34% do valor repassado). Não foram comprovados e nem devolvidos R$632.122,63.

Na manhã desta quinta-feira (26), durante entrevista ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Varginha (SindServa), o vereador Marquinho da Cooperativa afirmou que o questionamento durante a sessão ordinária teve como objetivo ajudar 100% dos servidores públicos. 

“A Casserv é livre e se associa quem quiser, mas queremos um programa que contemple todo mundo, pois vimos várias irregularidades. Eu mesmo questionei na reunião que existem quatro vereadores que são associados à Casserv e se não tivesse manifestado a fala, ninguém ficaria sabendo. Não achei certo esses vereadores votarem sobre esse PL! O correto seria eles terem se manifestado e afirmado que não iriam votar, pois fazem parte da caixa assistencial, mas a votação foi justa e queremos sempre que o servidor não seja afetado. Vamos conversar com o prefeito Vérdi Lúcio Melo para obtermos um plano que contemple todos os servidores”, ressaltou Marquinho da Cooperativa. 

Segundo o secretário da Mesa Diretora, vereador Dandan, a votação foi para a subvenção direta à Casserv, e não aos servidores públicos e Hospital Regional.

“A Casserv não apresentou os documentos da forma correta. Isso é uma Câmara Municipal e quando se manda documentos com nomes duplicados e de pessoas que já faleceram, é um desrespeito. É sinal que a empresa não teve a fiscalização no que ela estava mandando”, enfatizou o vereador.

Ainda de acordo com Dandan, que analisou e estudou o PL, o que foi feito pela Comissão de Justiça foi o trabalho do vereador, que é de fiscalizar. 

“Com a sobra do dinheiro de mais de R$600.000, daria para reformar todas as policlínicas da zona rural. Temos tantas policlínicas na cidade que estão precisando de estrutura e sabemos da necessidade do Hospital Regional, mas subvenção indireta, comigo não cola! Se a Prefeitura quiser fazer uma subvenção, que faça direta ao Hospital Regional, não tem que repassar nada por um intermediário”, finalizou o vereador, que votou junto à Comissão de Justiça. Participaram ainda da sessão ordinária, o presidente do SindServa, Miller Fagundes Jorge, juntamente com alguns servidores da cidade.

Redação: Ana Luísa Alves / SindServa



 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.