AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Tragédia em Brumadinho: bombeiros encontram corpo após 942 dias de buscas



 Os restos mortais, aparentam ser de uma mulher, 
mas apenas a perícia vai confirmar a identidade da vítima


Dois anos e sete meses após o rompimento de uma barragem de rejeitos em Brumadinho, tragédia que deixou 270 mortos na região Central de Minas, o corpo de uma das vítimas foi localizado. De acordo com o Corpo de Bombeiros, os restos mortais aparentam ser de uma mulher.

No entanto, somente a perícia da Polícia Civil vai confirmar a identidade da vítima. No total, 10 pessoas que perderam a vida no desastre seguem desaparecidas. O rompimento da barragem Córrego do Feijão aconteceu em 25 de janeiro de 2019 e, desde então, militares dos bombeiros realizam buscas no meio da enxurrada de lama. 

Os trabalhos foram interrompidos em março do ano passado, por causa da pandemia da Covid-19, e retomados em maio deste ano. O corpo achado na última terça-feira (24), 942 dias após a tragédia, estava em um local conhecido como Remanso 1, próximo a comunidade de Córrego do Feijão.

"Pelo estado de integridade do corpo há uma forte possibilidade de se tratar de uma nova identificação, o que evidentemente só poderá ser concluído depois do trabalho da perícia da Polícia Civil", informou a corporação.

O Corpo de Bombeiros explicou que "pelo local e pelos indícios que foram encontrados na área, acredita-se que estruturas de concreto que foram carregadas pelo fluxo de rejeitos e que estavam próximas possam ter garantido uma maior integridade e preservação do corpo".

O corpo já foi entregue à Polícia Civil para identificação e, segundo destacou os bombeiros, deve reduzir o número de vítimas sumidas. Além disso, a corporação também comunicou a comissão das famílias sobre a localização de mais uma vítima.

O Corpo de Bombeiros ressaltou que vai permanecer na região em busca das demais pessoas que continuam soterradas. "Em mais de 942 dias de operação, o CBMMG continua demonstrando a eficácia e compromisso da corporação, que por meio da aplicação de modelos preditivos e matemáticos, utilização de equipamentos de ponta e de estratégias implementadas por especialistas da corporação, continua garantindo a dignidade e respeito aos envolvidos na tragédia, que segue como a maior operação de busca e salvamento das Américas", pontuou.


Fonte: Jornal O Tempo 



 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.