AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Paris confirma azeites mineiros entre os melhores do mundo



 Primeiro azeite baiano extraído na EPAMIG em 
Maria da Fé (MG) também conquistou medalha de ouro

Os resultados da terceira edição da Olio Nuovo Days Competition divulgados na quinta-feira, 16 de setembro, em Paris (França), confirmam o sucesso dos azeites nacionais em concursos sensoriais pelo mundo. O Bests of the Southern Hemispherereuniu participantes de três continentes, América, África e Oceania, e premiou os melhores blends e monovarietais. Dentre os mineiros, o azeite Monasto, de Maria da Fé, recebeu medalha de Ouro, e as marcas Vertentes, de Andrelândia, e Zet, de Maria da Fé, foram finalistas.

O azeite Rio de Contas, da Chapada Diamantina na Bahia, também conquistou medalha de ouro. Originado de azeitonas plantadas no Nordeste do Brasil, esse azeite teve a primeira extração realizada no último mês de fevereiro no Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), em Maria da Fé. 


Qualidade Comprovada

Os azeites da Serra Mantiqueira entre Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro têm conquistado consumidores e jurados no Brasil e no exterior. Neste ano, representantes da região foram premiados em concursos internacionais realizados nos Estados Unidos, na Itália, em Portugal, no Japão e no Brasil. As avaliações feitas por profissionais especializados em análise sensorial de diversas partes do mundo contribuem para agregar valor a esses azeites que se destacam por características diferenciadas.

Em abril de 2019, a advogada Rosana Chiavassa adquiriu a Fazenda Santa Helena, em Maria da Fé, com uma área de 10 hectares e 5700 pés de oliveira plantados. “Tive que aprender tudo sobre equipamentos, adubos, material para colheita e pensar em marca, rótulos, garrafinhas. Desde a concepção do projeto queria algo diferente, escolhi uma garrafa que não é convencional para azeites. Optei por um nome forte, místico e não feminino, diferenciando de grande parte dos azeites produzidos aqui na Mantiqueira. Cerquei-me de uma equipe extremamente qualificada”, conta a produtora.  

Em 2021, a segunda safra do Azeite Monasto conquistou medalha de ouro em Paris e Nova York. Em Paris, a marca foi premiada também pelo design no Prix d’originalité: Uniqueness Award, conquista obtida também pela sul-africana Rio Largo. Rosana acredita que o diferencial dos azeites da Mantiqueira vem do frescor. “Nossos azeites vieram para encantar. Essa é nossa posição no mercado”, aposta.

O Zet, é o primeiro azeite biodinâmico do Brasil, produzido a partir de azeitonas orgânicas, certificadas pelo IBD, maior certificadora de produtos orgânicos da América Latina. O azeite extravirgem artesanal é cultivado na Serra da Mantiqueira, a uma altitude de 1600m. “A nossa produção é pequena, mas totalmente isenta de químicos, agrotóxicos e pesticidas com manejo da biodinâmica. Em Paris, nosso azeite foi até a final e ganhou uma medalha de prata. Estamos muito felizes e esperamos novos sucessos no futuro, pois além de ser um ótimo produto é bem melhor para a saúde”, assegura o produtor Samir Rahme.

Luiz Fernando de Oliveira comenta a evolução das pesquisas ocorridas desde a extração pioneira no país realizada pela EPAMIG em 2008 e ressalta os aspectos sensoriais dos azeites da Mantiqueira. “Esses resultados obtidos em concursos internacionais e de grande notoriedade nos motivam e demonstram que apesar de termos pela frente, muito trabalho, estamos no caminho certo e com condições de se produzir excelentes extravirgens. Vale destacar também que esses resultados são reflexos de uma combinação de muita pesquisa de empresas como a EPAMIG e comprometimento dos produtores. Outro ponto importante é que estamos colocando o país na rota do azeite e mostrando aos especialistas (júri) o terroir brasileiro, caracterizados por notas tropicais e com grande frescor”, finaliza.


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.