AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Cirurgia de recuperação auditiva é realizada no Hospital Humanitas Unimed



Técnica inovadora possibilita a 
pacientes escutarem pela primeira vez


Pela primeira vez no município será realizada uma cirurgia de recuperação auditiva, este tipo de procedimento com prótese subcutânea ainda é raro e será uma das primeiras também do Estado. A operação está agendada para a manhã de hoje, sábado (16), no Hospital Humanitas Unimed. “É uma cirurgia relativamente não comum, mas com tendência de aumentar o número de realizações nos próximos anos”, informa o cirurgião responsável, Dr. Roner Dixini Naves.

Uma segunda cirurgia similar está prevista para 12 de novembro. De acordo com informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, 5% da população apresenta algum grau de surdez. Infelizmente, nem todos os casos podem ser reversíveis por meio cirúrgico. O cirurgião explica: “Essa tecnologia se presta para pacientes com perda auditiva condutiva ou mista que já não tenham benefício com aparelho auditivo convencional ou não consigam usá-los por questões anatômicas”. 

Para os casos de surdez neurossensorial existe hoje um grande avanço também com os implantes cocleares. Nos casos em questão, que são realidades de surdez mista/condutiva, há a possibilidade das próteses ósteointegradas que estimulam o ouvido interno por via óssea. Resultando no retorno auditivo.

Como são as cirurgias de retorno auditivo

O médico cirurgião explica que o procedimento pode ser comparado ao implante dental. “Será colocado um pino de titânio que se osteointegrará ao osso como nos implantes dentários.  Esse implante/vibrador ficará debaixo da pele e o aparelho de captação do som externo se conectará a pele por meio de imã. O som será captado externamente e transmitido para a parte interna que transformará esse som em vibração para o osso e do osso para o ouvido interno. Uma das grandes vantagens desse sistema é ficar todo debaixo da pele diferente dos anteriores, chamados percutâneos, onde ficava uma parte metálica atravessando a pele com riscos de lesões dérmicas”, afirma.

Os resultados positivos serão percebidos após ativação do sistema. Justifica: “É necessário que o pino de titânio se ósteointegre ao osso da calota craniana para depois poder suportar as vibrações. Portanto o sistema será ativado após 40 dias em média”. O Hospital Humanitas Unimed investe em sua estrutura para que possa oferecer o melhor ambiente de trabalho aos seus médicos do corpo clínico. O Dr. Roner Dixini Naves também é parte do quadro social da Unimed Varginha Cooperativa de Trabalho Médico.


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.