AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Coluna Fatos e Versões com Rodrigo Silva Fernandes

 

Deu ruim pro Boa 

O prefeito Vérdi Melo cortou pela metade o investimento que faz anualmente no Boa Esporte. Na coletiva em que abordou o assunto Vérdi ressaltou “todo o trabalho do Boa, uma empresa que gera emprego, renda e aquece nossa economia. Isso sem contar que gera entretenimento para a cidade. O Boa deu muitas alegrias para os torcedores e levou o nome de Varginha para todo o Brasil. Reconhecemos também sua importância na conservação do Estádio Melão, porém, com a queda do clube para o módulo 2 do Campeonato Mineiro, entendemos que o investimento que fazíamos deve ser reduzido pela metade, o que foi resolvido em comum acordo com a direção do Boa e esperamos que a equipe possa se readequar e voltar para a elite futebol Brasileiro”, disse Vérdi. O prefeito já vinha sofrendo pressão para “equacionar o investimento no clube” frente a nova realidade do time. Além disso, muitas lideranças ligadas ao esporte cobravam “equidade de atenção e recursos” do município frente ao que é destinado ao time. Certamente que o Boa precisa melhorar seus resultados em campo para melhorar sua renda, ainda mais num momento de limitação de venda de ingressos, em razão da pandemia. Vale ainda destacar que, quanto aos valores de aluguel cobrado de outros times que usaram o Melão neste período de pandemia, não se sabe quem ficou com os recursos, visto que times como o Cruzeiro teria pago para utilizar o Melão em mais de uma oportunidade em Varginha. Onde será que foi parar o recurso? 

 

Lago de Furnas e as eleições de 2022 

O secretário de Turismo e Comércio de Varginha, Barry Charles Sobrinho participou da reunião realizada pela Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago), representando o prefeito Vérdi Lucio Melo. A reunião foi para tratar sobre o Lago de Furnas que enfrenta uma seca histórica o que tem levado caos a economia e turismo dos 34 municípios que envolvem o lago. Também estiveram presentes no evento os presidentes da Eletrobras, Rodrigo Limp e de Furnas, Clóvis Torres. Representantes da União dos Empreendedores do Lago de Furnas e Peixoto (Unilagos) e da Associação dos Municípios do Médio Rio Grande (AMEG). O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, foi convidado como presidente da Frente Mineira de Prefeitos. Prefeitos de diversos municípios debateram a importância da preservação do nível mínimo do lago, a cota 762. O diretor do Senado, Alexandre Silveira, que participou do evento, reforçou o compromisso e empenho do presidente do Senado Rodrigo Pacheco para que o lago se mantenha com água e não ultrapasse a cota mínima. De acordo com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, Minas Gerais não pode pagar o preço alto para abastecer o Tietê, em São Paulo. Além do nível do lago, foi discutido também o estado de conservação das balsas e a possibilidade de diques. Barry Charles compara a atual situação da represa de Furnas com um mar de lamas neste período de seca e cita os prejuízos causados com a falta de água, inclusive os danos ambientais. Barry acredita que a reunião foi muito produtiva e está confiante quanto aos resultados. Contudo, a importância da reunião ultrapassa apenas a questão econômica e turística da região. O evento reuniu diversas lideranças estaduais como Alexandre Kalil, que será candidato ao Governo de Minas e Alexandre Silveira, que pode ser candidato ao Senado em 2022. É uma das primeiras visitas de Kalil na região, que aproveitou para fazer diversos contatos políticos. O evento mobilizou prefeitos e lideranças de dezenas de cidades e teve ampla divulgação em todo Estado e indica que o governador Romeu Zema precisa ficar atento aos movimentos políticos de Kalil. Diferente de Zema, que procura manter boa relação com o Governo Federal tendo em vista a dívida de MG junto a União, o prefeito Kalil não mediu palavras para cobrar o Governo Federal, a quem cabe regular a vazão da Hidrelétrica de Furnas. A disputa entre Kalil e Zema esta apenas começando, mas, a julgar pela análise do secretário de Turismo de Varginha, o prefeito Kalil sabe bem o que falar para encantar os políticos dos 34 municípios que banham a represa de Furnas. A conferir 

 

Eventos e a Abrasel em Varginha  

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) em Varginha foi inaugurada recentemente com a presença de diversos empresários e políticos. A Abrasel Sul de Minas é a oitava regional de Minas Gerais e vai representar 155 municípios. A entidade envolve profissionais do meio gastronômico, como bares e restaurantes, e tem como objetivo principal o desenvolvimento do setor. Em Varginha, a presidência será do empresário André Yuki Yoshikai, líder do setor de restaurantes na cidade, que durante a pandemia já participou ativamente da defesa do setor. A chegada da Abrasel em Varginha fortalece o setor na região e “dá poder aos comerciantes locais, na medida em que alinha o setor em Varginha com as demais grandes cidades onde a Abrasel tem forte atuação”. Andre Yuki não tem nenhum vínculo partidário, e vem se fortalecendo como liderança setorial na cidade e já é assediado por diversos partidos políticos. Yuki sabe que precisa estar próximo do mundo político, sem, contudo, escolher partido, a fim de dar isenção aos pleitos do importante setor que representa. Aliás o setor de bares e restaurantes em Varginha foi beneficiado em várias medidas locais durante a pandemia. Todavia, o setor é um dos que mais sofreu com as restrições de circulação. As festividades de final de ano podem dar um novo alento ao setor, se a Prefeitura de Varginha chegar a retomar os eventos e aberturas sanitárias previstas. No quesito de eventos, é certo que o município dificilmente vai retornar a grande programação de Carnaval que tinha no passado com shows e grande participação popular. Retornar com eventos como a Feira da Paz ou algo similar também é algo inimaginável neste momento. Todavia, é preciso que a Prefeitura de Varginha esclareça e dê capacitação e estrutura para que a iniciativa privada volte a promover grandes e médios eventos na cidade. Cabe a Prefeitura de Varginha o papel de desburocratizar e estruturar a vigilância municipal, Guarda Civil e outras estruturas públicas para facilitar a vida dos empreendedores de eventos, que esta diretamente ligada aos empreendedores de bares e restaurantes hoje associados a Abrasel. 

 

Comércio ainda sofre 

A vida do comerciante em Varginha continua difícil, mesmo com o fortalecimento de setores como bares e restaurantes. Entre as reclamações do comércio estão a falta de estacionamento na região central da cidade, bem como o grande número de comerciantes ambulantes irregulares. Estes problemas são antigos para o comércio, contudo se intensificaram nos últimos meses com o crescimento da frota local de automóveis e reforma no centro que acabaram com vagas de estacionamento. Além disso, a crise econômica gerada com a pandemia jogou diversos comerciantes para o mercado informal, aumentando ainda mais o número de ambulantes. Neste período de pandemia, a fiscalização do município não focou na regularidade dos comerciantes de rua, mais sim em aglomerações, uma vez que, a maioria dos comerciantes irregulares está trabalhando para própria subsistência. Agora com a retomada da economia, a Prefeitura de Varginha terá que atuar em duas frentes. A primeira dando condições técnicas e talvez até econômica, para que os comerciantes irregulares voltem a formalidade. Num segundo momento, é preciso que a fiscalização retire das ruas os comerciantes que são irregulares e fazem vendas no centro comercial em concorrência desleal com o comércio que gera empregos e paga impostos. No caso do estacionamento no centro comercial da cidade, os comerciantes precisam se organizar para conseguir mais vagas e facilitar a vida de quem vai fazer compras no centro de Varginha. Talvez a parceria ou convênio da Associação Comercial de Varginha – ACIV com estacionamentos do centro possa possibilitar novas vagas aos consumidores. De qualquer forma, o comércio local precisa se reinventar para aproveitar as vendas de final de ano, que prometem dar um folego para o setor. A conferir 

 

Falando em comércio 

O líder do comércio local de Varginha, Anderson Martins, que foi candidato a prefeito em 2020 e lidera a Associação Comercial e Industrial de Varginha – Aciv parece ter gostado do ambiente político. Pelo menos é o que escuta no PSDB, seu partido onde é muito estimado pelas novas lideranças estaduais tucanas. Andersom Martins passou o primeiro ano do governo Vérdi sendo ” um estranho no governo municipal”. Talvez porque exista alguma “querela não resolvida” entre Vérdi e os tucanos locais. O prefeito foi por muito tempo o líder do PSDB, seu partido de origem, contudo em 2020, os tucanos locais preferiram lançar Andersom Martins a apoiar um ex-filiado. Contudo, tendo em vista as prévias gerais do PSDB que em breve vai escolher seus candidatos para 2022, é muito possível que Andersom Martins seja novamente convocado por seus pares para novo desafio político. Não sabemos se o empresário aceitaria o desafio, mas é certo que o novo PSDB de Varginha não deseja mais ser expectador das eleições na cidade. 

 

Segurança digital 

A Prefeitura de Varginha instalou novas câmeras de segurança pelo centro comercial da cidade. Com o investimento espera-se que exista melhora na atuação da Guarda municipal para policiamento nas regiões mais movimentadas da cidade. Mas este trabalho pode ser melhorado, caso exista maior interação entre Policias Civil, Militar e Guarda Municipal para compartilhamento de dados e união nas ações. Já no caso do Executivo municipal, também não resta dúvida que uma aproximação poderia ser feita junto aos setores produtivos da cidade, principalmente o comércio e associações de bairros, para que a iniciativa privada pudesse contribuir na compra e ampliação do sistema de câmeras de vigilância. Diversas áreas na avenida José Justiniano dos Reis, bem como nas proximidades do Shopping Via Café possuem empresas e associações de moradores que poderiam contribuir com o poder público para ampliar as áreas de cobertura da vigilância digital. Será que o município tem buscado este diálogo plural com o restante da sociedade e das instituições? 

 

Deputado Professor Cleiton recebe título de Cidadão Honorário de Varginha 

Na segunda-feira (4), o deputado estadual Professor Cleiton recebeu, através da Câmara Municipal de Vereadores de Varginha, o título de Cidadão Honorário Varginhense. A proposição da vereadora e presidente da Casa, Zilda Silva (PP), foi aprovada, de forma unânime, por todos os vereadores. A cerimônia aconteceu na própria Câmara Municipal. O parlamentar tem grande identificação com Varginha e ao todo, durante seu primeiro mandato como deputado estadual, para instituições de saúde; escolas; forças de segurança e entidades, Professor Cleiton já enviou ao município mais de R$ 8 milhões. Todas as escolas estaduais foram contempladas, além dos Hospitais Regional e Bom Pastor e instituições sociais. O professor e deputado é ligado a Renovação Carismática da igreja Católica de Minas Gerais, de quem teve o apoio para se candidatar a uma vaga de deputado estadual na Assembleia Legislativa. Após assumir mais esse chamado, foi eleito Deputado Estadual. Embora seja ligado a movimentos sociais e à esquerda, tendo em vista estar filiado ao PSB, Cleiton Oliveira transita bem por outras áreas da política estadual. Atualmente em choque com o governo Zema, o deputado estadual pode constituir dobradinha com o deputado federal Dimas Fabiano (PP), mesmo partido de Zilda Silva, que lhe concedeu o título de cidadania em Varginha. Dimas Fabiano é ligado a direita, é um dos líderes e vice-presidente nacional do Partido Progressista, que dá base ao presidente Bolsonaro. Não se sabe ainda quais serão as conexões políticas de Cleiton Oliveira para as eleições de 2022, mas certamente se o Partido dos Trabalhadores (PT) não tiver candidato a estadual em 2022, é muito possível que o professor Cleiton seja novamente o majoritário em Varginha, com votos da direita e da esquerda local. 

 

Falha técnica 

Ao longo da última semana ocorreu o encerramento das atividades do Hospital de Campanha, que funcionava na Unifal. Entre as muitas atividades e cerimonias que envolvem os trabalhos de combate a pandemia na cidade, foi lançado um Memorial dedicado as centenas de vítimas da doença na cidade. Ocorre que, a placa de inauguração do memorial foi inaugurada com erro de português. Onde deveria estar escrito “vítimas da Covid-19, foi escrito vitimias da Covid-19”. A gafe espalhou rápido pelas redes sociais, mostrando que a assessoria do prefeito está tão atenta para cuidar de encher os eventos públicos que tem a presença do chefe do Executivo municipal, que esquecem de conferir a escrita nas placas de inauguração.


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.