AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Coluna Fatos e Versões com Rodrigo Silva Fernandes

Tarda, mas não falha 

Ditado popular diz que “a Justiça tarda, mas não falha”, e nisso muita gente acredita! Prova disso é mais uma condenação dada ao ex-delegado da Regional da Polícia Civil, Welington Clair, que atuou em Varginha e São Gonçalo do Sapucai, onde chegou a se destacar fora da Polícia Civil, tendo sido vereador em São Gonçalo e pré-candidato a prefeito em Varginha. O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) obteve nova condenação do ex-delegado regional de polícia Welington Clair, agora ao cumprimento da pena de 17 anos, 9 meses e dois dias de reclusão, em regime inicialmente fechado, em razão da prática dos crimes de falsidade ideológica, corrupção passiva e lavagem de valores. A sentença ainda determinou a perda do cargo de delegado de polícia, o pagamento de multa, a reparação por danos morais coletivos no valor aproximado de R$ 860 mil e o perdimento de bens do ex-agente público. Ele terá que devolver R$ 874.831,73, reconhecidos como propina recebida. Clair foi denunciado em decorrência das investigações que deram origem à operação Delta, realizada em outubro do ano passado pela Promotoria de Justiça de São Gonçalo do Sapucaí, com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), núcleos Pouso Alegre e Varginha. A operação deu continuidade às investigações promovidas pelo Ministério Público Federal. A coluna soube que muitas outras investigações envolvendo autoridades locais em andamento. De membros das polícias a agentes políticos. Quem sabe a “Justiça vai chegar para outros que saíram da linha” ainda neste ano! 

 

Lixo Zero 

Entre os dias 22 a 31 de outubro está acontecendo a 1ª Semana Lixo Zero de Varginha. O evento é mobilizado pelo Coletivo Varginha Lixo Zero (@varginhalixozero) em parceria com o Instituto Lixo Zero Brasil, responsável pela organização em âmbito nacional. A atividade presencial inicialmente prevista para acontecer na Praça da Mina foi transferida para a "Praça que será inaugurada no bairro Rio Verde”. A Semana Lixo Zero é um conjunto de ações simultâneas alinhadas ao conceito Lixo Zero, tem como objetivo inspirar e conscientizar a sociedade como um todo. O tema deste ano é Dignidade: tratar bem seus resíduos e repensar o consumo é dar dignidade a quem cuida da cidade para e com você. O conceito Lixo Zero é uma meta ética, eficiente, econômica e visionária para guiar as pessoas na mudança de suas práticas e modo de vida de forma a incentivar os ciclos naturais sustentáveis, onde todos os materiais são projetados para permitir sua recuperação e uso pós-consumo. A 1ª Semana Lixo Zero de Varginha conta com o apoio institucional do festival Virada Varginha e da Prefeitura Municipal de Varginha, além de diversas entidades promovendo programações paralelas. Para mais informações, acesse o site www.semanalixozero.com.br e o perfil do Coletivo Varginha Lixo Zero nas redes sociais Instagram e Facebook. 

 

Saco de bondades 

O governador Romeu Zema anunciou, nessa quarta-feira (20/10), o pagamento do abono natalino no dia 15/12, em parcela única, para todos os cerca de 600 mil servidores, ativos e aposentados. O valor total da folha, sem encargos patronais, é de aproximadamente R$ 3,1 bilhões e a estimativa é que sejam injetados cerca de R$ 2,5 bilhões na economia mineira em dezembro deste ano, com base nos dados da folha de setembro de 2021. O pagamento integral do 13º salário para todos os servidores sem atraso foi feito pela última vez em 2015 e somente em 2010 esse valor foi depositado para o funcionalismo até 15 de dezembro. A possibilidade de pagar o abono em dia é resultado dos esforços, desde o início deste governo, para aumentar a arrecadação e atrair investimentos. Todo esse trabalho viabilizou avanços como a regularização da data de pagamento dos salários dos servidores no quinto dia útil, do passivo de férias-prêmio, a incorporação de abono ao vencimento básico dos servidores da Educação Básica, além, entre outros, do pagamento da dívida com municípios e a regularização dos repasses dos consignados dos servidores, descontados dos contracheques dos servidores na gestão anterior e não repassados às instituições financeiras. Sem dúvidas o governo Zema tem realizado um enorme trabalho de reorganização do Estado, sendo os servidores públicos e aposentados do governo estadual alvo de muitas das boas ações deste governo. Não é atoa que o funcionalismo mostra-se um “cabo eleitoral” da reeleição de Zema, que sabe a importância e peso político dos servidores. O “saco de bondades” do governo estadual chega em hora adequada politicamente, pois o pagamento do 13º em dia, já causa efeito político para as eleições de 2022.   


Saco de bondades - 02 

O governador Romeu Zema anunciou na quinta-feira (21/10), em Lavras, o repasse de R$ 53,3 milhões para a Universidade Federal de Lavras (UFLA). A ação é uma continuidade do Programa de Apoio às Universidades Federais de Minas Gerais, que apoiará com mais de R$ 500 milhões em recursos investimentos em dez instituições federais de ensino instaladas em Minas. O valor para a UFLA se soma aos R$ 30 milhões já anunciados por Zema no início do mês para a consolidação do campus da universidade em São Sebastião do Paraíso, totalizando, assim, R$ 83,3 milhões para a instituição. Os recursos serão aplicados nas obras de adequação e ampliação do hospital da UFLA para atendimento de alta complexidade e também equipagem do hospital. Além disso, será viabilizada a complementação da Usina Fotovoltaica da instituição. O governador Zema fez importantes movimentações políticas no Sul de Minas nestas últimas semanas. Esteve em Pouso Alegre onde liberou recursos para o Hospital Samuel Libanio, esteve com Vérdi Melo, prefeito de Varginha quando prometeu recursos para o Hospital da Criança. Foi a São Sebastião Paraíso onde liberou recursos para a região e passou também passou por Lavras onde liberou recursos para a UFLA. Vejam que a assessoria política de Zema precedeu e mapeou cada uma das ações e não é por acaso que Zema tem tal atuação neste momento. Ainda sem a definição de um concorrente certo para a disputa de 2022, Zema atua sozinho no interior captando apoios que podem lhe garantir maioria política nas eleições estaduais. Se em 2018 o governador não contou com destacado apoio de prefeitos, agora em 2022, certamente a disputa será diferente. A conferir. 

 

Deputados Prof. Cleiton (PSB) e Odair Cunha (PT) cumprem agendas em Varginha 

Na sexta-feira (22), o deputado estadual Professor Cleiton Oliveira (PSB) esteve em Varginha para cumprir agenda e ouvir demandas de populares. O parlamentar visitou, dentre outras, unidades de economia, educação, esporte, inclusão social e saúde. No Hospital Regional do Sul de Minas, ao lado do deputado federal Odair Cunha (PT), Professor Cleiton se reuniu com diretores e representantes da unidade; vereadores e o secretário municipal de Saúde, Armando Fortunato. Em pauta, o deputado destacou a emenda oriunda de seu mandato – via emenda parlamentar – no valor de R$ 510 mil para a compra de equipamentos à unidade. Ao todo, Professor Cleiton já destinou mais de R$ 1,2 milhão para o hospital. Já na Universidade Federal de Lavras (UNIFAL) Campus Varginha, o deputado se encontrou com professores, diretores e a reitoria da universidade. Em conversa, foram debatidas possíveis melhorias no local. O parlamentar esteve também com o presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Varginha (CODEVA) e com representantes da Associação Varginhense de Futsal (AVF), onde conheceu melhor os projetos. O deputado também esteve com o prefeito Vérdi Melo, que tem sido um aliado na conquista de investimentos para Varginha. Claramente o parlamentar estadual realizou um roteiro de visitação a obras e setores que tem apoiado durante seu mandato. Cleiton Oliveira esteve ainda no Centro de Comércio de Café e também conversou com vereadores e outras lideranças políticas. 

 

O peso do passado e das ações 

A passagem do deputado estadual Professor Cleiton Oliveira (PSB), juntamente com o deputado federal Odair Cunha (PT) remete ao passado de início da militância política, tanto de Oliveira quanto Cunha, que iniciaram suas vidas políticas no movimento carismático da igreja católica. Contudo, Odair Cunha foi para o PT e Cleiton Oliveira para o PSB, ambos partidos ligados a esquerda. Cunha viveu o apogeu do PT, quando ganhou para deputado federal, ainda com pequena votação, até hoje quando tem custado para conseguir apoio tendo em vista o alto desgaste da legenda na região. Já Cleiton Oliveira, em primeiro mandato, entrou para deputado no momento em que o enfraquecimento do PT fortaleceu outras legendas de esquerda, como o PSB. Os parlamentares são amigos antigos, embora Cleiton Oliveira tenha buscado outro nome que não o de Odair para fazer dobradinha em Varginha. Contudo, tendo em vista as difíceis conexões políticas locais, é possível que reste apenas Odair Cunha para dobrar com Cleiton na cidade em 2022, o que não sabemos se é bom ou ruim! Cleiton Oliveira tem realizado um bom mandato na Assembleia Legislativa, mostra-se discreto e bem relacionado, todavia, sua independência e fiscalização ao governo lhe rendeu respeito e perseguição na função. Cleiton Oliveira é o propositor da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga a Cemig. Claramente foi identificado irregularidades na empresa, mesmo na atual gestão de Zema e tal descoberta tem custado a Cleiton Oliveira o “desencanto” com o governo estadual, que hoje trabalha contra sua reeleição. O deputado do PSB tem realizado um grande trabalho no parlamento, merece sua reeleição e quem sabe, também melhores amigos do passado e dobradinhas do presente. 

 

Bolsa Família mineiro 

Continua a briga entre Legislativo e Executivo mineiro pela “paternidade do bolsa família” estadual aprovado na Assembleia e pago pelo Governo de Minas. Neste momento em que deputados e o governador buscam a reeleição e estão em lados opostos da política é grande a rivalidade entre eles. O pano de fundo da disputa é o poder e dinheiro que vão irrigar o próximo mandato estadual que virá. O trabalho do atual governo na recuperação da economia, aliado aos bilhões em obras que sairão do acordo judicial com a mineradora Vale S/A vão proporcionar uma gestão “mais fácil ao próximo governador e deputados estaduais”. Isso tudo somado, os próximos 4 anos podem valer 8, pois quem chegar ao poder em 2022, tem grande chance de reeleger novamente ou fazer sucessor. E é nisto que Legislativo e Executivo estão pensando quando brigam agora. O presidente da Assembleia Legislativa deputado estadual Agostinho Patrus deseja ser candidato a vice-governador, possivelmente na chapa de oposição que caminha para ser liderada pelo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil. Já o governador Romeu Zema (Partido Novo) será candidato a reeleição e mesmo “estando de namoro político com o deputado estadual Antônio Carlos Arantes a fim de tentar manter importante ponte de relacionamento com o Legislativo”, fontes da coluna informam que o vice de Zema será mesmo o desconhecido Mateus Simões, que ocupou por meio mandato a vereança em Belo Horizonte e hoje ocupa uma secretaria no governo. As relações do Governo de Minas com a ALMG pode hoje parecer favorável a Zema tendo em vista seu reconhecido trabalho de recuperação do Estado, que na verdade, deve-se muito aos empreendedores e contribuintes mineiros, que pagaram a maior parte deste sacrifício. Mas no futuro, passadas as eleições e eleito um novo parlamento, o estranhamento do governo com o Legislativo pode sair caro ao governador. Ainda mais se realmente ficar claro que Zema “adoçou a boca de muitos deputados para vice, já com a intenção de dar o cargo ao seu secretário Mateus Simões”. A conferir 

 

A saída do ninho 

O entorno do reitor do UNIS Stefano Gazzola já esta ciente e preparado para a prometida candidatura do líder educacional, que tanto custou a sair. Gazzola vem sendo assediado por muitos partidos já hà muito tempo. Contudo, Gazzola ainda não tinha se aventurado a “sair do ninho”. Como liderança regional e sem precisar de muitos recursos, Stefano Gazzola estuda a escolha de um partido e mira a Câmara Federal, onde acredita que teria melhores condições de realizar por Varginha e pela Educação. A difícil escolha de uma legenda passa pela expectativa de votação de cada partido, que precisa fazer o cociente eleitoral para garantir vaga na Câmara, bem como precisa ser uma legenda que garanta a vaga e apoio regional, sem falar nos recursos do Fundo Eleitoral. Será que agora vai? 


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.