AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Campeão brasileiro em 1971 pelo Atlético-MG, Grapete quer nova taça: “Uma honra vencer pelo Galo”

 



Zagueiro. Camisa 3. Grapete foi titular da conquista do Atlético-MG em 1971, quando o clube conquistou o Brasileiro, até aqui, pela única vez. Perto de ver o Galo voltar a levantar a taça da competição, o ex-zagueiro relembrou o título de 50 anos atrás e destacou a torcida para a confirmação do novo título.

- Estou torcendo aqui para o Atlético de hoje. Ser campeão Brasileiro é uma honra. Principalmente no Atlético Mineiro, porque a torcida é muito boa, enche o Mineirão – disse o ex-jogador em entrevista à EPTV, afiliada Rede Globo.

Aos 78 anos, Grapete é natural de Silvianópolis (MG) e mora em Pouso Alegre (MG). Ele ainda veste o manto alvinegro e expõe orgulhoso que é torcedor do time.

- Ser atleticano tem que ser do coração.

 

Lembranças do título

Quando foi campeão, em 1971, Grapete ergueu a taça do primeiro Campeonato Brasileiro disputado no formato de liga, como é atualmente. Foram quase 17 anos vestindo as cores do Galo e Grapete fez parte do time que tinha como uma das estrelas Tião e o artilheiro Dadá Maravilha.

Na oportunidade, para ser campeão, o Galo desbancou o Santos de Pelé e o Cruzeiro de Tostão, além do São Paulo de Gérson e o Botafogo de Jairzinho no triangular final.

- O futebol na época era mais gostoso, não era tão corrido como é hoje. Foi uma felicidade danada para o nosso plantel, que jogou o Brasileiro. O Dario [Dadá Maravilha] fazia os gols, era um bom jogador também. Era um time espetacular na época, do lateral até a ponta esquerda era um timão.

 José Borges do Couto, Grapete, foi um dos casos de torcedor que vira jogador e brilha pelo clube do coração. Ele esteve na inauguração do Mineirão, em 1965, e domingo (28), da sala de casa, em Pouso Alegre, pode ver o Galo ainda mais perto do título do Brasileirão.

- [É preciso] Ter tranquilidade, faltam uns dois três jogos, ser amigo do parceiro que joga junto e não se preocupar com o juiz.

Oito pontos à frente do vice-líder Flamengo, o Galo está perto de um bicampeonato que pode vir até sem entrar em campo. Para isso basta vencer o Fluminense no domingo e o Flamengo não ganhar do Ceará na terça-feira.

G1

 


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.