AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Coluna - Luiz Fernando Alfredo

 O vale tudo da política

Até agora os que odeiam Bolsonaro bateram pesado e o impediram de governar, doravante eles, estarão usando tudo àquilo que não foi feito para reformar o Brasil, exclusivamente por causa dos políticos desonestos, fisiológicos e em especial o ativismo de muitas Instituições mais à esquerda comunista, que não tem noção das consequências, ao opor-se ao homem eleito do Palácio do Planalto em detrimento de nossa sociedade. É a política do vale tudo. Lembremo-nos dos espetáculos de autoritarismo e condução facciosa e ousada da CPI do Senado.

Assistimos Rodrigo Pacheco, Presidente do senado, o maior covarde ou interesseiro de todos os tempos, falar que o Brasil não vai bem, mas lógico, o próprio “Dissimulado Mineirinho” prevaricou desde que assumiu e não mediu esforços para trair a pátria e seu apoiador Bolsonaro.

Artur Lira, Presidente da Câmara dos Deputados, sofrendo como passarinho nas mãos de criança, às vezes estático e como que petrificado, com um olho no peixe e outro no gato, tendo que agradar Bolsonaro e o STF, não podemos arriscar nenhum prognóstico quanto ao desfecho.

Caros leitores, todos nós esperávamos no dia sete de setembro uma série de medidas contra àqueles que estavam protagonizando o descumprimento dos atos democráticos de direito, mas numa democracia onde o Congresso tem que referendar quase tudo que o Executivo necessita propor ou alterar; imaginem quão difícil seria com o ativismo do STF, fora do seu quadrado, que deveria limitar-se a julgar méritos constitucionais!

É quase impossível uma medida mais dura, pois prejudicaria muito a economia e a imagem do país, a não ser que as coisas saiam fora de controle e partam para uma desordem total, o que achamos quase impossível no Brasil, pelo menos depois que os conservadores foram despertados, são pacíficos e suas “armas” serão depositadas nas urnas, escolhendo os melhores. E por outro lado, Bolsonaro, que clama por liberdade jamais seria um ditador. E com certeza nossos alinhados Oficiais Superiores das três forças não estão importando com as agressões injustas ao Presidente, e muito menos quando outros poderes, os afrontam diretamente.

Uma democracia forte é aquela que sua Constituição é rigorosamente cumprida, sem leis casuística e com suas Forças Armadas respeitadas, isto tudo é a base de uma Nação forte e pujante.

Nossa democracia não tem poder moderador, o povo que deveria ser respeitado como tal, através dos seus representantes parlamentares, infelizmente, não é. Bem até que temos sim quem pretenda moderar, o “poder destruidor”, não pela essência das Instituições em si, mas por àqueles poucos que têm comprometimentos de mão dupla e são intocáveis pelo sistema por causa do corporativismo e do bom mocismo, assim tipo Renan Calheiros, uma vez bandido sempre bandido, porém sempre reeleito. Que coisa esquisita Alagoanos! Vocês mantiveram o pai no poder até hoje e antes da “raposa velha” sair de cena, já tem o filho em processo de sucessão.

Tudo indica que Bolsonaro será candidato mesmo carregando injustamente, o peso da pandemia e da economia.  Mas quem no Brasil teria uma receita melhor para eliminar, num curto   prazo, os problemas que afetam igualmente o mundo inteiro? Por outro lado, estamos ganhando muito com a quantidade de medidas institucionais, desburocratização, melhorias e obras que ele conseguiu fazer praticamente sozinho, debaixo de tempestades de opiniões maldosas da esquerda e da mídia retrógrada – que não divulga nada -  cada vez mais, está sendo substituída pelas redes sociais. Amém!

E olha que Bolsonaro além de pegar muitas dívidas do PT, governadores contrários, o setor público inteiro praticamente acostumados com o jeito permissivo de trinta anos atrás, teve que implorar para um Congresso de muitos irresponsáveis e traíras e ainda os estragos provocados pela pandemia. Para nós que conhecemos a história do Brasil, Bolsonaro, em apenas três anos, já é o melhor Presidente de todos os tempos.

A propósito, cuidado com o carnaval, não brinque com um inimigo desconhecido, cujo controle seria efetivado com uma vacinação e já acabamos de tomar a terceira dose e todos envolvidos no enfrentamento da pandemia continuam com cara de paisagem. Nossas considerações honrosas para com os profissionais de saúde sem distinção. Que os céus os protejam.

João Dória já está investindo a longo prazo, liberando o uso de máscara em locais abertos. Alguém sabe se os grandes desfile são em locais fechados?

Como têm caras de pau neste país! Será que um dia haverá imunização deles?

Que Deus nos proteja deles até chegar a vacina!



 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.