AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Inflação em outubro foi de 1,30% na cidade de Varginha



A pesquisa sobre a inflação geral em Varginha, coordenada pelo Departamento de Pesquisa do Grupo Unis, mostrou que no mês de outubro o IMPC (Índice Municipal de Preços ao Consumidor) apresentou alta de 1,30% em comparação com o mês de setembro.

Desde o início da pesquisa em julho deste ano a alta acumulada já chega a 5,19%. O IMPC é composto por 5 grupos de gastos, sendo eles: Alimentação (em domicílio e fora do domicílio); Habitação (despesas residenciais como energia elétrica, gás de cozinha, água, itens de limpeza em geral e de higiene pessoal); Transporte (combustíveis e transporte público); Educação (mensalidades escolares em diferentes níveis) e Comunicação (planos de telefonia e de internet). Esses grupos são divididos em 11 subgrupos, compostos por 44 itens e totalizando 503 preços coletados entre diferentes tipos, marcas e locais na cidade.

Pelo terceiro mês consecutivo, o grupo transporte apresentou a maior alta geral (8,21%). Os produtos com maiores elevações nos preços médios foram etanol (14,29%), gasolina (10,77%) e o diesel (5,94%). O grupo habitação teve alta de 1,04%. Neste grupo os destaques de alta foram os produtos de limpeza em geral (2,24%), higiene pessoal (1,42%) e o gás de cozinha (1,02%).

O grupo alimentação apresentou baixa na média geral de -1,29%. Os destaques de alta foram cebola (23,91%), carne de frango (7,80%) e café em pó (7,56%). Neste mesmo grupo, os produtos que apresentaram as maiores baixas foram banana (-18,70%), batata (-10,79%) e leite integral (-4,17%).

O grupo comunicação teve queda de -0,63%. E o grupo educação se manteve estável.

Neste mês foi possível verificar que dois grupos (alimentação e comunicação) tiveram quedas nos índices médios. Porém, as altas ocorridas nos grupos de habitação e, principalmente, de transporte provocaram alta na inflação geral em Varginha. Assim sendo, a diminuição de preços em alguns produtos alimentícios não trouxe alívio no orçamento doméstico em função da alta de outros gastos importantes, como é o caso dos combustíveis. 

Reiteramos, conforme o relatório anterior, que a procura por preços mais acessíveis e a substituição de produtos e marcas são ações necessárias para tentar diminuir esses impactos, juntamente com políticas governamentais que visem minimizar essas volatilidades nos preços.


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.