AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Hulk pode ser 2° artilheiro de Brasileiro e Copa do Brasil no mesmo ano



Hulk segue construindo uma história vencedora com a camisa do Atlético. Na próxima quarta-feira, ele pode alcançar novos feitos pelo Galo. O time alvinegro decidirá a Copa do Brasil com o Athletico-PR, às 21h30, na Arena da Baixada. Como venceu a primeira partida, no Mineirão, por 4 a 0, os comandados do técnico Cuca podem até perder por três gols de diferença que conquistarão a tríplice coroa. E o camisa 7 está perto de fechar mais um torneio pelo clube como artilheiro.

Depois de marcar 19 gols no Campeonato Brasileiro - foi o artilheiro isolado, com quatro gols a mais que Gilberto, do Bahia, o vice-líder -, Hulk se prepara para mais um prêmio individual. O craque do Galo marcou sete vezes na Copa do Brasil, dois a mais que Rigoni, do São Paulo, e Rossi, do Bahia. Os dois, no entanto, já foram eliminados do torneio.

Os mais próximos de Hulk na briga pela artilharia são Renato Kayzer, do Athletico-PR, e Eduardo Vargas, do Atlético. O jogador do Furacão tem quatro gols, enquanto o chileno do Galo marcou três vezes - duas no primeiro jogo da final.

Como é improvável que Hulk seja ultrapassado na última partida da competição, podemos dizer que ele será o segundo jogador da história a conquistar a artilharia de Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil no mesmo ano. Gabigol, hoje no Flamengo, alcançou o feito em 2018, quando vestia a camisa do Santos.

Naquela temporada, Gabi fechou o Campeonato Brasileiro como único artilheiro, com 18 gols marcados. Já na Copa do Brasil, ele dividiu o prêmio com Rômulo, do Avaí, e Neílton, do Vitória, todos com quatro gols. 

Ano mágico


Hulk vive temporada esplêndida com a camisa do Atlético. Em 67 partidas, foram 35 gols marcados e 12 assistências, totalizando 48 participações diretas. Em entrevista exclusiva ao Superesportes, o atacante comentou o ano pelo Galo e a idolatria alcançada com a torcida alvinegra.

"O futebol te proporciona coisas maravilhosas. Eu poder voltar para o Brasil, onde eu tinha tanta vontade de jogar um Brasileiro, e vir para o Atlético em um ano especial, porque eram 50 anos sem ganhar o Brasileiro, e ganhar, conseguir entrar para a história do clube, já era demais. E ser idolatrado pela torcida, é muito gratificante", disse, completando. 
"É desfrutar do momento, procurar manter. A gente sabe que o mais difícil é manter. Chegar é difícil, mas o mais difícil é manter. A gente vai manter com a nossa humildade, com o nosso trabalho, para estar sempre nos braços da torcida, que essa torcida é diferenciada demais", concluiu.

Super Esportes

 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.