AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Brasileiro na Ucrânia relata desespero em meio a bombardeio: 'A noite clareou'



O brasileiro David Abu-Gharbil publicou um vídeo em suas redes sociais logo após a queda de uma bomba em Kiev. Segundo o engenheiro, a bomba caiu a cerca de 2 km de distância do apartamento onde ele mora. David e seus amigos pediram ajuda de jogadores brasileiros para tentar fugir da Ucrânia.

“Eu tô desesperado, [vocês] não têm noção. Acabou de explodir uma bomba aqui, tiroteio. A noite clareou. Eu pensei que fosse morrer. Meu coração tá pulando a mil aqui".

"Agora a gente vai descer pro bunker pra sentir pelo menos um pouco mais protegido, porque eu estou desesperado aqui. Eu tô em choque, vamos para um lugar mais seguro”, contou o brasileiro em suas redes sociais.



O brasileiro natural de Coqueiral, no Sul de Minas, está relatando todos os momentos vividos por ele e os amigos em Kiev, durante a guerra na Ucrânia. Em um vídeo publicado antes da queda da bomba, David contou que eles haviam saído do bunker e retornado para o apartamento porque não havia riscos de bombardeio naquela noite.

“Essa noite vai haver conflito na Ucrânia. Não vai ser bombardeios, vai ser conflito armado com os soldados. Vamos ficar no apartamento, não tem necessidade de ir para o bunker. Só ficar longe das janelas. Orem por nós, orem por todos que estão aqui”, disse.

Nesse mesmo vídeo ele contou que da meia noite até às 4h da manhã do dia seguinte todas as luzes da cidade devem ficar apagadas. Esta é uma medida para evitar que os edifícios virem alvos de ataques.

Na manhã desta sexta-feira (25), David gravou um novo vídeo. Neste ele aparece um pouco mais calmo e relata como foi a noite de bombas em Kiev.

“Noite difícil, que noite tensa que eu passei, que meus amigos passaram, que o povo ucraniano passou. Sabe o que é ficar a noite inteira acordado, revezando pra um dormir e o outro ficar acordado vigiando se vai acontecer alguma coisa, só que você não consegue dormir também? Fica todo mundo apreensivo"

"Às 4h da manhã, quando todo mundo resolveu descansar, porque não ia acontecer mais nada, cai uma bomba bem ao lado nosso. Estourou tudo. Estamos exaustos. Estávamos no bunker até agora. Estava muito frio, difícil de se aconchegar, muita gente, crianças, idosos, cachorros. A gente até tentou sair de lá em torno de 7h30, mas, quando pisamos para fora, a sirene tocou e era um aviso de tanques russos entrando”.

Ajuda de jogadores de futebol


David também falou sobre a possibilidade de voltar ao Brasil. Ele disse que pediu ajudar para jogadores de futebol brasileiros para sair da guerra na Ucrânia.

“O exército ucraniano destruiu as pontes da entrada norte e leste de Kiev, pra dificultar a entrada dos russos por terra. A gente tentou falar com o Brasil. A base aérea tá fechada, não dá pra ir embora. O tráfego está enorme e é impossível se locomover. A embaixada brasileira fala pra gente ficar em lugares seguros e procurar se proteger. Eles não deram um respaldo pra gente"


"A gente está com um pessoal, meus dois colegas são jogadores de times profissionais e a gente tem contato com jogadores do time do Shakhtar [Donetsk], como o Pedrinho, Allan Patrick, Marlon, e eles estão tentando dar um jeito de ir embora e vão tentar colocar a gente nessa barca aí e ir embora todo mundo. Não será hoje, apenas amanhã. A gente tem que passar por mais uma noite de terror”.

Também na manhã desta sexta-feira (25), o engenheiro publicou um vídeo dizendo que está abrigado em um hotel de Kiev a convite do presidente do Shakhtar. Ele aguarda para saber se conseguirá retornar ao Brasil junto com outros brasileiros.


G1 Sul de Minas


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.