AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Coluna Fatos e Versões com Rodrigo Silva Fernandes

 


Esta consumado   

A Prefeitura de Varginha já esta na posse provisória do prédio do Cine Rio Branco. A antecipação da posse foi concedida após o município depositar os R$ 5,35 milhões do valor da desapropriação. Com isso, o município deve começar em breve a reforma emergencial no imóvel que apresenta vários problemas que comprometem a estrutura e segurança no local. A Prefeitura de Varginha acertou quando adquiriu o imóvel e planeja construir no local um centro educacional de eventos. Com o investimento, o município trará vida nova para aquela região do centro. O novo centro de eventos deve ficar pronto ainda neste ano, mas não sabemos se haverá alguma entrega antes das eleições! No final, todos foram contemplados em relação ao Rio Branco. Proprietários do imóvel tiveram de volta parte do investimento, defensores da Cultura ganharam novo espaço na cidade, comércio e cidadãos que trabalham e residem próximo ao Rio Branco terão o espaço revitalizado. Certamente este novo centro cultural será um marco na gestão municipal, que amplia sua estrutura cultural e educacional no município. Resta saber quem será homenageado dando nome a nova estrutura cultural local! A conferir   


Trabalho, melhor projeto social e educativo   

Recentemente o presidio de Varginha foi alvo de uma ação do Gaeco do Ministério Público Estadual onde servidores da área de Segurança Pública e advogados locais foram acusados de irregularidades na gestão do local. Haveria a cobrança irregular de valores para que detentos tivessem benefícios como transferências e liberação para trabalho externo, entre outros. A medida causou transtorno, mas não gerou espanto, visto que não há uma regulamentação clara, transparente e perene quanto aos benefícios e ações para a ressocialização dos detentos em Varginha. Existem bons projetos, mas é sempre difícil o controle e fiscalização deste trabalho de ressocialização de detentos. Exemplos em outros presídios como Itajubá, mostram que a capacitação técnica dos detentos, bem como o emprego são os melhores caminhos para trazer tais pessoas ao convívio sadio em sociedade. Mostrar que o caminho da capacitação e trabalho levam a dignidade e sucesso, e não o caminho do crime. Mas como se dá a interação entre empresas e o sistema carcerário em Varginha? Existe regulamentação e prospecção de empresas para gerar empregos aos detentos? Há interação com escolas profissionalizantes ou algo semelhante para capacitar os detentos? Como deve ser tais tratativas e construções institucionais? Associação Comercial, OAB, município de Varginha e outros interessados participam de projetos assim? Como vemos, ainda há muitas lacunas no sistema de segurança que gerencia o presídio de Varginha, o que abre espaço para corrupção e irregularidades!   


Saliva e sola de sapato   

O governador Romeu Zema (Novo) tem percorrido o interior de Minas falando com prefeitos e lideranças regionais. A intensificação das viagens mostra que o período é de “entrega de resultados e conquista de apoio em prol da reeleição”. A assessoria de Zema sabe que não há escândalos ou falhas graves neste governo o que ajuda a conquistar votos. Todavia, também não se pode desmerecer o discurso da oposição que acusa a falta de grandes obras estruturantes nesta administração. Na verdade, Zema ficou 4 anos “arrumando a casa, para poder entregar agora um governo que pelo menos paga em dia”, o que não é pouca coisa, mas não garante muitos votos em reeleição. Ademais, os muitos focos de greve no funcionalismo também é algo que preocupa o governo. Os servidores públicos estão melhor agora que antes quando tinham incertezas do pagamento, que eram realizados em 4 parcelas no mês. Mas a insatisfação de setores como Segurança e Educação, somado a setores da imprensa, alguns partidos de oposição indicam que a campanha eleitoral de 2022 para Zema “não será um passeio no parque”. Depois que “pegou estrada e viu a quantidade de problemas a resolver”, a assessoria de Zema parece que “desceu do salto” e começou a trabalhar como deve. Nos próximos meses Zema vai gastar muita saliva e sola de sapato, pois dinheiro mesmo significativo para obras, apenas com os recursos do acordo com a Vale, que somente esta saindo por conta de demorado acerto judicial com a iniciativa privada.  


Os ex-condenados  

As eleições de 2022 vão contar com um ingrediente “indigesto” ao eleitor. Trata-se da volta de medalhões da política mineira que estão de volta, agora com a “chancela de inocentados pela Justiça”. Casos clássicos como o do ex-presidente Lula, que por “questões processuais ou minúcias administrativas as sentenças foram anuladas, começaram novamente em outras instancias, prescrições ou mesmo ocorreu uma surpreendente absolvição, mesmo com as inúmeras provas como filmagens, dinheiros em malas, cuecas e contas no exterior”. Em Minas tivemos as absolvições dos ex-governadores Eduardo Azeredo, Aécio Neves e Fernando Pimentel. Ambos fizeram parte de processos onde as provas chocaram a sociedade e o recurso público desviado dificilmente voltou aos cofres públicos. E vale ressaltar que estes políticos, segundo as últimas pesquisas, devem eleger-se e ainda vão ajudar a eleger outros nomes em seus partidos. O ex-governador tucano Eduardo Azeredo ainda é incógnita se voltará à política, mas tem sido pressionado por amigos a voltar. Já Aécio Neves pode até tentar vaga no Senado, embora muitos orientem o político tucano a “ir devagar e assegurar uma boa vitória com a reeleição na Câmara dos Deputados” o que favorece a eleição de outros candidatos a deputados federais. No caso do petista Fernando Pimentel, o próprio Lula foi um dos responsáveis em convencer o ex-governador a voltar as eleições. Pimentel enfrentava diversos processos e ainda pode responder por irregularidades que estão sendo investigadas. Talvez também por isso, no caso de Pimentel, foi mais fácil convencer o petista a voltar a política e conquistar seu foro especial. Além disso, as pesquisas nacionais apontam que a liderança de Lula ajudaria na candidatura e eleição de Pimentel, por pode chegar a conquistar próximo dos 200 mil votos, o que contribuiria para ampliar a bancada petista de Minas Gerais na Câmara dos Deputados. Além de Pimentel ser um dos coordenadores da campanha petista em MG, sendo Pimentel um nome para possível primeiro escalão de uma eventual volta de Lula à Presidência da República.  


Conexão MG/Brasil  

A falta de habilidade da campanha de reeleição de Romeu Zema acabou por gerar mais um candidato forte na disputa pelo Governo de Minas. O senador Carlos Viana, que estava no MDB para uma possível candidatura ao governo, agora tornou-se oficialmente o candidato de Jair Bolsonaro ao Governo de Minas, que sabe a importância do estado nas eleições presidenciais. Viana estava filiado ao MDB mas não teria grandes chances ou apoio para sua disputa pela legenda. Havia inclusive a possibilidade de uma composição do MDB com o próprio Zema. Contudo, após fala do ex-secretário estadual de Governo Matheus Simões, em que deixava dúbio o apoio ou oposição de Zema a Bolsonaro em Minas, o presidente preferiu construir palanque próprio no estado. O próprio Bolsonaro ligou para o senador Carlos Viana, convencendo o parlamentar a filiar-se no PL, onde será candidato a governador de Minas com o apoio irrestrito do presidente. Isso traz enorme apoio a Viana que começa sua candidatura com importante apoio de Bolsonaro, um cabo eleitoral que traz votos e recursos para a campanha. Os maiores perdedores nesta negociação foram em primeiro lugar a reeleição de Zema, que tinha a chance de construir relação amistosa e não formal com Bolsonaro nesta campanha, o que seria bom para ambos os candidatos. O segundo perdedor foi o MDB que tinha um bom nome para a disputa, o que garantiria a participação da legenda no pleito, puxando votos para os demais candidatos do partido. Além disso, com Viana no MDB, a legenda ainda mantinha a possibilidade de acordos seja com Zema ou mesmo outros candidatos como Alexandre Kalil entre outros. Agora sem candidato, o MDB esta a deriva nesta campanha e qualquer negociação que fizer agora será menor que antes quando tinha um candidato colocado. É provável que o MDB venha a aderir a campanha de Viana, agora no PL, ou mesmo apoie Kalil ou Zema, mas com participação bem menor.  


Cabo eleitoral  

A campanha do reitor Stefano Gazola para deputado federal ganhou um grande cabo eleitoral: o ex-prefeito Antônio Silva manifestou apoio ao nome do educador nas eleições de 2022. A coluna já havia “cantado a pedra” sobre este possível apoio e destacado a importância desta manifestação. Antônio Silva tem uma história com o eleitorado de Varginha e região. Foi prefeito por 4 mandatos, passou por cargos importantes da vida pública e empresarial em Varginha, além de possuir amigos entre os principais líderes políticos da região. Quando Stefano Gazola coloca Antônio Silva em seu “time eleitoral”, esta abrindo uma enorme porta para conquistar apoio direto de milhares de eleitores em Varginha, mas sobretudo, apoio de outras lideranças, principalmente na região. Afinal, o rendimento eleitoral da votação de Stefano na região será a chave do resultado eleitoral do candidato. Stefano sabe que tem um “teto eleitoral para atingir em Varginha, o que não será fácil, mesmo com apoios como Verdi e Antônio Silva”. E mesmo que atinja este teto de votos em Varginha, Stefano precisa conseguir mais de 40 mil votos fora para assegurar sua eleição a deputado federal. A equipe política do reitor já realiza reuniões em cidades da região em busca de apoios, mas ainda assim, o próprio candidato tem poucas conexões políticas na região que possam render votos. Dai a importância de apoios como Antônio Silva, que abrirá o leque de possíveis apoiadores do reitor. Vale ainda dizer que a mesma linha de raciocínio que é válida para o reitor também é verdade para outros candidatos da cidade, nenhum deles “sairá eleito da cidade, mesmo Varginha possuindo mais de 90 mil votos”, o que poderia eleger tranquilamente um deputado federal e dois estaduais. Nenhum dos candidatos “da cidade” terá aqui votos suficientes para eleger-se. Assim, aquele que realmente quiser se eleger, tem que trabalhar muito fora de Varginha, mas para isso, tem que saber em “quais portas bater e como procurar tais lideranças. É justamente isso que Stefano consegue agora, com a adesão de Antônio Silva”. 


Cabo eleitoral 2 

Outro nome que esta colado com Stefano Gazola é do deputado estadual professor Cleiton Oliveira. O parlamentar mudou de partido recentemente, saindo do PSB para o PV. Cleiton Oliveira é um parlamentar atuante e faz bom trabalho no Legislativo, não faz parte da base governista, atua com independência, embora seja visto no governo estadual como oposição. É praticamente certa a dobradinha de Cleiton Oliveira e Stefano Gazola em várias cidades, inclusive Varginha. Com a aproximação entre as duas lideranças, Cleiton Oliveira consolida sua atuação na área educacional, conseguindo votos junto aos milhares de alunos do UNIS onde Stefano Gazola é um líder e terá muitos votos a federal, abrindo espaço para Cleiton Oliveira como estadual. Já o deputado estadual abre espaço para o reitor no meio religioso onde o parlamentar tem forte apoio. O movimento carismático da Igreja Católica deu muitos votos para Cleiton Oliveira e Odair Cunha (PT) no passado. Contudo, tendo em vista o claro desgaste do petista Odair Cunha, é possível que parte dos votos de católicos do movimento carismático venham para o reitor, que tem boa relação com o universo religioso regional e agora consolida uma porta para este setor com a dobradinha junto ao deputado estadual Cleiton Oliveira.      


Reconhecimento  

A presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG deferiu o ingresso do Cruzeiro no RCE (Lei 14.193/2021), ratificando a cautelar deferida em novembro de 2020, além de eleger a 24ª Vara Cível de Belo Horizonte para processar todas as execuções enfrentadas pelo clube celeste. O trabalho de defesa jurídica do Cruzeiro Esporte Clube é promovido pelo Escritório Chalfun Advocacia, liderado pelo advogado de Varginha Gustavo Oliveira Chalfun. O escritório de Gustavo Chalfun tem obtido diversas vitórias jurídicas nos mais variados tribunais e instâncias o que comprova a capacidade técnica dos profissionais do Direito do Escritório da Chalfun Advocacia. A diretoria do clube tem reconhecido as vitórias jurídicas, o que tem sido fundamental para manter o Cruzeiro de pé. Vale destacar ainda a trajetória de Chalfun também na área institucional de defesa da advocacia, no comando da Caixa de Assistência da Advocacia – CAA/MG. Os trabalhos da OAB/MG, bem como da CAA/MG, estão transformando a advocacia mineira, que ganha espaço em âmbito nacional. Gustavo Chalfun tem assumido responsabilidades e promovendo conquistas para a CAA/MG o que vai representar inúmeros benefícios a classe em MG. Aos poucos, Gustavo Chalfun vai consolidando sua liderança estadual na advocacia e transbordando sua credibilidade para outras áreas além da advocacia. 




 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.