AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

TJMG participa de inauguração da Casa da Mulher Mineira

 

Desembargadora Ana Paula Caixeta (próxima à porta) disse que espaço irá proporcionar acolhimento e segurança a mulheres vítimas de violência doméstica / Foto: Mirna de Moura/TJMG

A superintendente da Coordenadoria de Defesa da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv), desembargadora Ana Paula Caixeta, representou o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Gilson Soares Lemes, na última quarta-feira (30/3), na inauguração da Casa da Mulher Mineira. A iniciativa é da Polícia Civil de Minas Gerais, que criou o espaço para acolhimento de mulheres que necessitam de orientação ou medidas protetivas e as procuram de forma espontânea. 

A Casa da Mulher Mineira tem 12 salas e, nelas, as vítimas serão acolhidas e poderão receber guias de exame de corpo delito e realizar representação criminal, além de obter encaminhamento para abrigos, serviços de atendimento psicológico e orientação jurídica. “Parabenizo a Polícia Civil de Minas Gerais por esta conquista. Uma entrega maravilhosa para todas as mulheres da capital e um exemplo para todo o Estado de Minas Gerais. Será um espaço de acolhimento, de orientação e de encaminhamento para o sistema de Justiça, chegando também ao Poder Judiciário”, afirmou a desembargadora Ana Paula Caixeta. 

Ela destacou que o trabalho das instituições públicas de Minas Gerais convergem. “São ações afinadas, voltadas para a prevenção e enfrentamento da violência doméstica contra a mulher. Senti-me abraçada e acolhida aqui. Gostaria que todas as mulheres pudessem ter essa sensação de pertencimento, de segurança, e assim será”, ressaltou.


Atendimento mais humanizado

A delegada titular da Casa da Mulher Mineira, Karine Tassara, disse que a ideia do espaço é fazer um atendimento humanizado, qualificado, com pessoal capacitado, e multidisciplinar para atender as vítimas de violência que recorrem à delegacia espontaneamente. “É um espaço para mulheres. Em situações de flagrante, os policiais conduzem, em regra, o agressor e a vítima para que cada um dê sua versão. Então, a vítima, muitas vezes, nem gostaria de estar presente na delegacia”, afirmou.

 De acordo com a delegada, para garantir acolhimento adequado, foram feitas parcerias com a Faculdade de Ciências Médicas e com a Fumec, por meio das quais será dada assistência psicológica às vítimas e proporcionar a todas os direitos que a lei lhes assegura. A delegada Carolina Bechelany, do Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família, considera o espaço um “divisor de águas”. Segundo ela, "as mulheres que procuram a delegacia de forma espontânea, hoje, disputam o mesmo espaço de ocorrências com os conduzidos. Isso vai mudar". 

A Casa da Mulher Mineira está localizada à Avenida Augusto de Lima, 1.845, Barro Preto, região Centro-Sul da capital. Ela fica próximo à Delegacia de Atendimento à Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, na avenida Barbacena, 288.




 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.