AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Opinião com Luiz Fernando Alfredo


 

Consolidando à verdade dos fatos

Estamos sempre insistindo para que todos os leitores desta coluna percebam e nos ajudem a divulgar que o Brasil mudou muito, reagiu a partir do ano de 2016, através das manifestações de rua, culminando na eleição de um político, considerado do baixo clero, mas que nunca desistiu de pregar em seus mandatos de parlamentar, que este país poderia ser diferente, patriótico, disciplinado, conservador, crente em Deus e mantendo a mola mestra da sociedade, ou seja, a tão inestimável família, além da liberdade.
Nossa coluna nunca abriu mão de abordar às melhorias que ocorreram no Brasil, sem corrupção, sem barganhas espúrias, com assessores técnicos, militares de alto nível intelectual e notável saber diversificado em matéria de Brasil, em especial o culto à ética na gestão dos departamentos que lhes foram entregues pelo Chefe do Executivo.
É, analisando a aceitação, ainda que tácita, das pessoas que estavam sentindo às mudanças e garantias que foram dadas pelo governo federal aos brasileiros, durante à pandemia, misturada com fraudes e desencontros na objetividade dos tratamentos;  estratégias de enfrentamento ao vírus e, o suposto embate entre à ciência e realidade, que controvertia do grande comando mundial da OMS, mas que hoje está consolidado o quanto de erros foram cometidos, diante do ineditismo da doença e da vaidade dos responsáveis, que politizaram demais às medidas que poderiam ser pelo menos discutidas e experimentadas, apenas por técnicos na área da medicina.
Ficando patente que o Presidente Bolsonaro desprovido de poderes administrativos e operacionais, apenas municiando o país de recursos, demonstrou ser um líder nato, pois foi o único que não “correu”, mesmo debaixo de “pauladas” dos contra e da mídia, que distorcia tudo que ele falava. A partir daí, passamos a notar que Bolsonaro, poderia não agradar até seus simpatizantes, mas como a coerência estava com ele e a maldade com os amigos do sistema corrupto, que a peso do braço de um timoneiro destemido sozinho, tudo estava ruindo em desfavor das quadrilhas. Assim sendo, deduzimos que, com às bandeiras defendidas pelo governo e medidas do Planalto não incorrendo em inconstitucionalidade, seria muito difícil, o povo esclarecido preferir a volta do maior ladrão do mundo, levando Bolsonaro ao impedimento institucional ou ao descarte puro e simples por parte do eleitorado, que conhece o assalto do PT aos cofres públicos.
Desde a primeira pesquisa colocando o Lula Ladrão em primeiro lugar na preferência do eleitor, com uma vantagem imensa a frente de Bolsonaro, já detectamos a estratégia fraudulenta, pois, mesmo com a mídia massacrando o Presidente, por ter perdido a enorme fatia corrompida, na participação do tesouro, às tendências e imagens não coadunavam com os inúmeros apresentados pelos Institutos, possivelmente comprados, o que foi fácil deduzir que iriam tentar arrancar Bolsonaro a qualquer custo.
Às peças não encaixavam quando comparávamos à esquerda com os conservadores que acordaram e passaram a enxergar que o Brasil não era só dos mesmos praticando mesmices, enganando o povo com “esmolas” e cada vez mais aliciando às massas a não se desligarem do cordão umbilical dos esquerdistas estelionatários e corruptos, para que eles se mantivessem no controle.
Sempre acreditamos que Bolsonaro, que se tornou um fenômeno, caso seja candidato, vencerá no primeiro turno, facilmente.
Ficaram muito nítidas às propostas de Lula, propondo matar embriões, nascituros, condenando o atraso das relações familiares, criticando o conforto da classe média e religiões, assustando até alguns de seus correligionários, que embora, de esquerda, não aceitam o comunismo.
Vimos a verdadeira pesquisa “data povo” acontecida no dia primeiro de maio, mostrando claramente que a proporção de adeptos a Bolsonaro e Lula, era de aproximadamente dez para um, o que demonstra indubitavelmente o que o povo quer.
Se não houver nenhum fato superveniente de alta relevância, o Brasil estará em boas mãos.
E não adianta perder tempo com troca de farpas com o Lula, ele deve desistir, e daí acabou, pois não tem ninguém em condições de apresentar um programa de governo factível, com toda esta situação mundial, destarte ninguém vai querer mexer no time que está ganhando. E ainda mais, com às ameaças veladas dos comunistas, que assolam às Américas.
A terceira via nossa, no momento faz parte da política, sórdida, retrograda, corrupta e já está desenhado que esta casta de inimigos do Brasil, não querem mais quatro anos de Bolsonaro. Quem sabe neste período vindouro, poderá surgir um grande nome que siga a cartilha do melhor Presidente de todos os tempos.
Portanto vamos votar bem este ano e separar o joio do trigo no Congresso Nacional, deixando de fora àqueles que prejudicaram o pais. Basta que acessemos os sites da Câmara Federal e do Senado, para tomarmos conhecimento dos covardes de rabo preso, que votaram contra às boas e justas propostas de iniciativa tanto do Executivo quanto do Legislativo, e principalmente contra a liberdade de expressão.
Esperamos que haja mais juízo nas cabeças das autoridades, que negam o óbvio, por pura oposição sem nenhum fundamento, a não ser o do ódio, pois contra força não há resistência, e as imagens dos conservadores, que são maioria, falam por si. 
Que Deus nos proteja!


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.