AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Produtor descobre 3ª trufa brasileira na zona rural de MG: 'A paixão me fez persistir até encontrar'

Foto: Arquivo pessoal


A trufa branca, um dos fungos mais raros de se encontrar, é o segundo ingrediente mais caro do mundo. Pela primeira vez no estado, ela foi encontrada no Sul de Minas, numa propriedade rural de Monte Verde, distrito de Camanducaia (MG), na Serra da Mantiqueira. Essa foi a 3ª descoberta de uma trufa no país. As outras duas foram encontradas em São Paulo e no Rio Grande do Sul. 

O dono da propriedade, Thiago Van Den Hoek Comenale, é produtor rural e agricultor. O holandês é dono de uma área na Serra da Mantiqueira e ele mesmo encontrou o ingrediente após meses de busca no local. 

"Ela é muito rara, então eu realmente não esperava encontrar aqui no sítio, foi uma grande surpresa. É muito animador o sentimento de achar algo tão raro, é o diamante da gastronomia. Saber que é algo tão valorizado financeiramente, nos estimula a produzir e fornecer para todos", disse. 

A existência da trufa foi confirmada pelo Biólogo, Doutor, Pesquisador e Educador em Biologia de Fungos, Marcelo Sulzbacher. Segundo ele, essa descoberta é um marco muito importante para a truficultura. 

“Isso nos dá um norte para entender muitas coisas, como, através do tipo de gênero da trufa, ela consegue ter condições climáticas para crescer no nosso país", explicou. 

A trufa nomeada como 'Maniba' está em fase de análise de DNA para definir a espécie, existindo então, a possibilidade de ser uma espécie nova nunca catalogada. O próximo passo será registrar oficialmente o ingrediente pelo Ministério da Agricultura. 

A faixa de preço de 1 kg de trufa no Brasil varia de R$ 6 mil a R$ 8 mil. Mas, como ela é usada em pequena quantidade, cerca de 5 gramas ou até menos é suficiente para aromatizar um prato. Ou seja, 1 grama sairia cerca de R$ 6. Logo, com R$ 30 já é possível complementar um prato e saborear o ingrediente brasileiro. 

Thiago e os produtores do local agora investem em pesquisas para entender a fisiologia do fungo, sua posição na terra, o ambiente ideal para crescimento e estudos para dominarem as técnicas de cultivo. 

"É um trabalho bem intenso, estamos investimento bastante. Buscamos entender uma forma de que ela não seja contaminada ou atacada por outros fungos. Assim, estamos dominando essa cultura no Brasil. Pelo que tudo indica, nos próximos anos isso vai aumentar muito, vão surgir fazendas de truficultura", comentou. 

O processo de descoberta 

Em entrevista ao g1, o agricultor relatou que ele e o pai sempre foram apaixonados por árvores europeias, por plantas medicinais e por fungos. Então sempre faziam caça aos fungos, coletas na mata e preparo de refeições usando os cultivos. 

"Nós já conhecíamos a trufa de nome, sabíamos da trufa como um fungo, mas sendo algo lá do mediterrâneo da Itália, algo muito raro e difícil de encontrar, pois só cresce em algumas árvores específicas. Então a gente nem imaginava que um dia elas poderiam crescer aqui no sítio", comentou. 

"O produtor que encontrou a 2ª trufa é conhecido meu e nós trocamos plantas. Como no meu sítio têm árvores trufeiras, como carvalhos, nozes, avelã, entre tantas outras, pensamos na possibilidade de existir esse tipo de fungo por aqui. Depois de muito tempo de busca, encontrei em três tipos de árvores, a trufa pequena branca, do tipo Bianchetta", complementou. 

O agricultor frisa que foi preciso muita persistência. Foi necessário andar muito pelo local, pesquisar, trabalhar na identificação das plantas, coleta, tudo com auxílio de biólogos e engenheiros agrônomos. "Isso é uma paixão na minha vida, e a paixão me fez persistir até encontrar', finalizou.


G1 Sul de Minas


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.