AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Sem dar detalhes, Bolsonaro diz que vai 'recorrer à Justiça' contra a Petrobras



Na semana em que entrou em vigor um novo reajuste da Petrobras no preço do diesel, com aumento de 8,9%, tendo entre as consequências a demissão do ministro Bento Albuquerque, das Minas e Energia, o presidente Jair Bolsonaro (PL) deu indícios de que pode fazer mais trocas em busca de diminuir o preço dos combustíveis. 

"A gente espera fazer mudanças de pessoas, que a gente pode fazer, pra gente buscar diminuir o preço do combustível no Brasil", afirmou Bolsonaro, sem indicar quem poderia ser trocado, na transmissão da live nas redes sociais, nesta quinta-feira (12). 

“Deixo bem claro que está previsto em lei, no caso da Petrobras, que ela tem que ter o seu papel social no tocante ao preço de combustíveis. Ninguém quer que a Petrobras tenha prejuízos ou fazer o que a senhora Dilma [Rousseff, ex-presidente] fez lá atrás, interferindo artificialmente no preço da Petrobras" declarou o presidente.

Na sequência, ele sinalizou que pretende acionar a Justiça contra a estatal caso o valor dos combustíveis não diminua, mas não deu mais detalhes. Caso leve isso à frente, a Advocacia-Geral da União (AGU) comandará a ação. 

"A gente espera aqui a redução do preço. Vamos ter que recorrer à Justiça, sabemos que quando eu recorro, é quase impossível eu ganhar, isso quando se coloca em votação”, disse, emendando com críticas ao ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes. 

Na última sexta-feira (6), Moraes suspendeu decretos de Bolsonaro que reduziram o IPI, atendendo a pedido do partido Solidariedade.


O Tempo


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.