AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Após exame de DNA, padrasto é preso por engravidar menina de 11 anos em Ibiraci



Um homem de 31 anos foi preso pela Polícia Civil de Ibiraci por engravidar a enteada de 11 anos. Conforme a polícia, um DNA confirmou a paternidade. A prisão ocorreu esta semana após a confirmação do exame. A família optou por manter a gravidez e o bebê nasceu em março. 

A mãe da criança de 11 anis descobriu que a filha estava grávida depois da jovem passar mal e receber atendimento médico. Na época, a criança já estava com cinco meses de gestação. Depois do susto, a mãe conversou com a filha que apresentou algumas versões. Primeiro teria sido abusada por um andarilho e depois por um parente mais distante. 

“Destruída. Pensa uma criança que brincava de boneca, hoje em dia ela é mãe. Com a cabeça cheia de coisa”, disse a mãe da menina, que preferiu não se identificar. Ela falou primeiro que foi um andarilho de rua, que pegou ela perto da escola, e depois ela falou que era um parente do pai dela”, falou a mãe, que teve a identidade preservada. 

A família decidiu prosseguir com a gestação e o bebê nasceu no dia 28 de março, quando foram feitos então dois exames de DNA. Um em abril, pelo estado, que o resultado vai sair apenas no final do ano. 

O Conselho Tutelar, com autorização do Ministério Público, pediu um novo exame e o resultado foi positivo. O padrasto então foi preso e encaminhado ao Presídio de Monte Santo de Minas. O caso corre em segredo de justiça. 

“A gente via que ele gostava das crianças, mas nunca na minha cabeça imaginei que ia chegar em um ponto desse. Ele ficou aqui, continuou antando na rua de cabeça erguida, trabalhando no serviço dele, agindo naturalmente. Ele foi lá na delegacia, ele foi lá dar o material para DNA, nem precisou chegar papel, não precisaram usar força com ele. Ele foi frio, calculista. Até no momento da prisão dele, ele disse que era inocente”, falou a mãe da menina. 

Outra parente, que também manteve a identidade preservada, relata que desconfiava do padrasto e chegou a levantar a hipótese com a família. 

“Desde o início a gente da família desconfiou que seria o padrasto. Para não dar falso testemunho, a gente esperou tudo. Sempre fomos alertando, sempre conversando na cabeça dela porque ela tinha mais filhos também, e sempre tentando abrir o olho”, disse. 

A mãe da menina disse que a filha ficava com o padrasto em casa enquanto ela saia pra trabalhar. 

“Não era assim de falar, ‘nossa eles ficam sozinhos o tempo todo’. E eu não deixava só essa minha filha, entende? Inclusive, eu deixava os outros menores e o filho dele junto. Não deixava só a menina”. 

Ela espera que o ex-companheiro fique preso por um bom tempo. 

“Foram quatro anos convivendo com esse monstro. Ele, cruel. Isso é cruel porque ele nem pensou, não pensou em ninguém. Eu quero justiça, porque eu quero que ele pague, porque ele destruiu a minha vida, e destruiu a vida da minha família, dos meus filhos”, disse. 

Com o resultado do teste de DNA positivo, a Policia Civil de Ibiraci infirmou que já concluiu a investigação. 

Conforme a polícia, o padrasto da menina de 11 anos está preso por estupro de vulnerável e pode pegar até 40 anos de prisão. Ainda segundo a Polícia Civil, o homem já tinha passagem pela polícia por abuso.


G1 Sul de Minas

Foto: Reprodução/EPTV


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.