AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Morador de prédio vizinho a banco atacado em Itajubá relata desespero durante ação: 'Escondi na cozinha'

Foto: Reprodução


Um morador vizinho à agência da Caixa Econômica Federal relatou momentos de desespero durante o ataque dos assaltantes ao banco em Itajubá (MG) na noite desta quarta-feira (22). Paulo Sérgio Adani, de 72 anos, estava no apartamento dele, a cerca de 100 metros da ação dos suspeitos, com a esposa, de 70 anos e o sogro, de 101. 

“Foi cerca de 100 metros do meu apartamento. Fiquei escondido aqui com minha esposa e meu sogro. Dava para ver eles [assaltantes] saindo dos carros com metralhadoras, assim que começou nos escondemos aqui, foi muito tiro. Fiquei escondido na cozinha. Foram cerca de 40 minutos de tiros”, comentou o morador ao g1

Paulo disse estava assistindo futebol pela televisão no momento em que os ataques começaram. Em um primeiro momento, ele revelou que pensou que poderiam ser foguetes devido à partida. No entanto, depois percebeu o que acontecia. 

“Eu estava vendo o jogo do Flamengo [contra o Atlético-MG, pela Copa do Brasil], quando começaram os barulhos. No começo achei que era foguete, mas o barulho era muito forte. Deu um estrondo, acho que era a dinamite e acho que tinha até .50. Foi coisa de se arrepiar, momentos de pânico”, falou. 

O morador destacou, ainda, que estava no apartamento com a esposa e o sogro durante os ataques. O sogro, de 101 anos, estava dormindo e acordou com o barulho. 

“Meu sogro estava cochilando no momento dos ataques, acordou até ‘meio bravo’. Conversamos com ele para explicar, ele disse que nunca tinha visto aquilo na vida dele”, comentou. 

“Acabou a luz por volta de 0h30, no quarteirão todo, voltou agora pela manhã”, completou. 

Susto no restaurante 

Marcus Vinícius Meireles foi outro morador de Itajubá que viveu momentos de pânico durante o ataque. Ele estava em um restaurante cerca de 500 metros da Caixa Econômica Federal com a esposa e os filhos, de 5 e 7 anos. Ele relembra que as portas do local foram fechadas e as luzes apagadas quando a ação dos assaltantes teve início no banco. 

“Estava em um restaurante com minha esposa e meus filhos. De repente, o dono do restaurante fechou as portas, pediu pra todo mundo entrar e apagou as luzes e explicou que estava tendo um tiroteio. De repente começamos a escutar os tiros. O barulho era muito alto, era assustador e por causa do eco a impressão era que estava a poucos metros da gente”, falou. 

Ele destacou, ainda, que no momento em que estavam escondidos, fotos começaram a ser enviadas nas redes sociais. Ao ver as imagens foi que ele teve dimensão do que acontecia. 

“Os bandidos ficaram em lugares estratégicos fechando o cerco da Caixa Econômica. Foi uma sensação que vai ser difícil de esquecer. Uma sensação de insegurança, ali estavam várias famílias, crianças, só ouvindo os tiros. Por volta de umas 2h da madrugada a gente foi saindo aos poucos do restaurante e podendo voltar pra casa. Foi muito triste ver uma criança de sem entender nada, só ouvindo o barulho e vendo as pessoas assustadas”, disse.

O ataque 

Sete pessoas ficaram feridas durante ação de criminosos armados na noite de quarta-feira (22) em Itajubá, no Sul de Minas. Os assaltantes atacaram uma agência da Caixa Econômica Federal no Centro da cidade e trocaram tiros com a polícia. A Polícia Militar (PM) confirmou que o cofre de penhor da agência foi atacado, mas não havia informações se algo foi levado. 

As policias Militar e Civil de Minas Gerais atuam em conjunto nesta quinta (23) na busca pelos suspeitos de envolvimento na tentativa de roubo. Em nota divulgada pela Polícia Civil por volta de 8h30, a informação era de que a ocorrência ainda estava em andamento. 

Segundo informações da prefeitura e da PM, um morador que passava pelo local no momento do ataque foi baleado na perna esquerda e precisou ser socorrido para o hospital da cidade. A EPTV apurou que havia um segundo morador ferido. O estado de saúde deles não foi informado. 

Além dos moradores, segundo a PM, um policial foi atingido por um tiro de fuzil no braço e precisou passar por cirurgia. Outros quatro policiais também ficaram feridos, sem gravidade. 

A Polícia Militar informou que, após a troca de tiros, os criminosos se dividiram em dois comboios que seguiram sentido a Pouso Alegre pela BR-459 e outro sentido a São Lourenço, por Maria da FéOs assaltantes deixaram quatro bombas dentro da agência bancária, segundo a Guarda Municipal de Itajubá.


Fonte: G1 Sul de Minas




 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.