AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Inovação e tecnologia nas indústrias

Foto: Ilustração / Google 



 Por que digitalizar? O que espero da tecnologia? Questionou José Meinberg, gerente de sistemas corporativos da empresa Sada Transportes e Armazenagem, na abertura de sua palestra. A exposição do tema “Simplificando Jornadas de Processos na Indústria”, conduzida por Meinberg, fez parte da programação do evento Venda Mais - Startups FIEMG Lab, realizado na última quinta-feira 4/8, na sede da FIEMG, em Belo Horizonte. Segundo o representante da Sada, tecnologias como IOT, IA, e Big Data já estão disponíveis, mas não existe uma receita de bolo para utilização. “Somos obrigados a inovar. O mundo está conectado e precisamos levar toda essa tecnologia para dentro das fábricas. Mas o nosso desafio é saber qual delas faz sentido para nossos negócios, pois cada caso é um caso”, ressaltou.

O projeto Venda Mais - Startups FIEMG Lab foi uma parceria entre a gerência de Atração de Negócios e Investimentos e o programa FIEMG Lab. “Nosso objetivo foi apresentar soluções inovadoras e tecnológicas para pequenas e médias indústrias, que não têm acesso ao ecossistema de inovação, e para as grandes que ainda não conhecem esse universo” explicou Junia Cerceau, gerente de Atração de Negócios da Federação mineira, que mediou as discussões. Segundo a gestora, esse foi o segundo Venda Mais realizado em parceria com o programa FIEMG Lab. “O primeiro deu tão certo que resolvemos repetir este modelo e, para isso, contamos com a chancela e curadoria de nosso hub de inovação”, afirmou. Bruna Silva Barbosa Pereira, coordenadora de Aceleração de Negócios e Ecossistema do FIEMG Lab, também participou do evento. “Nosso intuito é transformar a inovação aberta em resultados de negócios”, pontuou Pereira, esclarecendo que o FIEMG Lab tem como base os pilares Disseminação de Informações, Absorvição de Inovação e Geração de Inovação. 

Durante o encontro, as startups participantes da jornada FIEMG Lab apresentaram suas soluções para os participantes. A Adjnatech, representada Matheus Carneiro, é especializada em visão computacional e desenvolveu um método de inspeção e digitalização da indústria. Tecnologia de câmeras 3D, chamadas HammerHead, usadas, entre outras aplicações, para medir e monitorar precisamente estoques de granulados em indústrias, são as bases da startup Mogai, representada por Takeo Fugiwara Santos e Pedro Ribeiro Pellacani. A QualityHub, foi apresentada por Gustavo Garcia. A startup transforma processos de inspeção, gestão de ativos e controle de processos, levando tecnologia Analytics a dispositivos móveis.

Já a Smart Count utiliza visão computacional e IA para automação de processos de contagem de objetos. “Acreditamos que a mente humana é incrível e não deve se ocupar com tarefas chatas e repetitivas. Nós não fomos programados para isso. As máquinas, sim. Nosso foco é a automação de tarefas de contagem”, afirmou Vinícius Aquino, CEO da Smart Count. Após a palestra e os pitchs das startups, os interessados participaram de rodadas de negócios com os representantes das startups.

Fonte: FIEMG


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.