AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Opinião com Luiz Fernando Alfredo - 04/08/2022


 

Transparência Brasil

Nunca antes neste país aprendemos tanto sobre ele, os estados e municípios e até parece que vivemos em Brasília, dado ao número de informações que recebemos, diariamente, da capital, onde vivem grandes homens e homens pequeninos (cupins das terras nacional, alguns anônimos, outros não, mas, todos abastados e refestelados), quase ninguém preso.

Lógico, às mídias sociais são os instrumentos principais para aprendermos tantas coisas, algumas de pouca valia, mas, o grande segredo é sabermos filtrar às opiniões de cunho pessoal, da verdade; temos às imagens que falam por si, e se, eventualmente forem montadas ou deturpadas, logo, algum internauta descobre e expõe o retrato fidedigno. Não é como a mídia antiga, que engolimos o que se propaga.

A partir da eleição de Bolsonaro, passamos a conhecer muito de nosso Brasil; poucas pessoas sabiam de grafeno, nióbio, o tamanho da Amazônia (maior do que a Europa) [floresta húmida – não pega fogo], marco regulatório, terras indígenas (índios corruptos, vadios e índios sofridos), organizações não governamentais – ONGs - verdadeiras  e de mentirinhas; não conhecíamos muito às capitais e principais cidades do Brasil, muitos tinham dificuldades de lembrarem às cores de nossa bandeira, não se conhecia o sistema organizacional e disciplinar de uma cerimônia militar. Grande parte não gostava de polícia (hoje sabemos o quanto ela é injustiçada, porque esquerdistas e desinformados torcem para os bandidos). Não pensávamos que a população armada, responsavelmente, reduz o crime. Não se sabia nada do palácio da alvorada (residência oficial do Presidente da república e sua família); não se ouvia e poucas vezes, víamos uma primeira-dama atuar; Ouvíamos falar da transposição do Rio São Francisco, mas, não se imaginava como seria feito (hoje já estamos vendo seus benefícios; a alegria dos nordestinos e o quanto de safadeza existia nesta grande obra) – não sabíamos que o próprio governo financiava o MST, hoje já fomos mais além, estamos vendo a consolidação de fato e de direito de uma reforma agrária - acabou-se, quase totalmente, com os  movimentos de invasores de terras. 

Muitos pensavam que economia era só fabricar dinheiro na casa da moeda, exportar e importar, reajustar o salário mínimo, fazer empréstimo no banco e se enterrar em dívidas, comprar caro ou barato na feira ou nos mercados. Hoje sabemos que a economia depende das chuvas, estiagem, de pandemia, guerras, movimentos políticos, honestidade dos governantes, diminuição da quantidade de funcionários públicos, vendas de estatais, combustíveis baratos, reforma trabalhista e previdenciária, desburocratização, pedágios mais baratos, rodovias privatizadas, mais ferrovias, portos administrados pela iniciativa privada e o mais importante, ministérios ocupados por técnicos da área. Não sabíamos nada de “déficts” primários, teto de gastos, quanto sobra no orçamento federal para investimentos, não ouvíamos falar de lucros de estatais, gasolina cara, porque várias refinarias não foram concluídas, desperdiçando dezenas de bilhões de reais. E o PIX, alguém já tinha pensado nessa facilidade e economia?

Vejam hoje, quando assistimos às entrevistas sobre o que se passa nos setores diversos do governo, o que acontece? Somos informados com detalhes, fica fácil de compreendermos; não é como antes; ministros políticos, falavam sem conhecimento de causa e diga-se de passagem, mais enganavam do que explicavam (transparência não era interessante), afinal não podiam “entregar o ouro” – era uma vergonha!

Aprendemos que os militares são cultos, gestores, disciplinados e corretos em tudo que fazem; aprendemos também que Deus, pátria, família e liberdade tem que estar acima de tudo e de todos.

Aprendemos que o Brasil trata de mais de um bilhão de pessoas através do seu agro, é o quinto pais do mundo em extensão territorial, é a décima economia do planeta, e tem o décimo melhor exército entre todos; é um país difícil de se invadir por outros continentes, pois ele é protegido por outros países da américa latina, no norte, sul e oeste e no leste temos o oceano atlântico, em toda sua extensão. 

Com poucos recursos, crise hídrica, pandemia e guerra, o atual governo deu continuidade e concluiu centenas de obras, entre às 27.000 paralisadas e auditadas pelo tribunal de contas. Quanto dinheiro perdido!

Bem, em apenas um texto, não vamos conseguir entrar em mais detalhes, portanto, ficamos por aqui. Mas uma coisa esquisita demais, não podemos omitir. Não sabíamos que, só o Executivo é fiscalizado e punido por tudo e por todos, só se mede à eficiência e produtividade do planalto; Legislativo e judiciário, são justificados; aprendemos que o Executivo administra, o Legislativo legisla e o Judiciário julga e que a prevaricação do Congresso Nacional sai na “bexiga”, ninguém liga, só chia; pelo menos até sete de setembro próximo; certo Pacheco?

O imbecil do Lula ainda tem coragem de abrir a boca e falar tanta bobagem, negando e manipulando, impingindo uma quantidade de mentiras ao governo, sob os aplausos de malandros, meliantes, corruptos e brasileiros cínicos.

Por que Bolsonaro incomoda tanto os artistas, jornalistas, elite e milionários? Talvez seja porque jamais vimos um Presidente comendo pastel em um botequim, almoçando numa calçada de Nova Iorque, entrando na casa de um pobre e abrindo a geladeira, tomando sopa num conselho comunitário, usando camisas, calças populares e boné; falando besteirinha, bem num linguajar de militar, cheio de piadinhas (quem serviu ao exército, sabe disto); resumindo um sujeito de uma simplicidade como poucos, mas, inteligente, persistente, corajoso e que não tem “sangue de barata”. Temos certeza que Bolsonaro é mais instruído do que a maioria dos doutores formados nas faculdades brasileiras, seus filhos são todos instruídos e sua esposa também. E o cara ainda é bom no “jet ski”, moto, bicicleta, cavalo, dirige ônibus, caminhão e salta de para-quedas, é exímio nadador e tem um bom discurso, claro, objetivo e franco e, ainda atrai adeptos, como um “pop star”.   “Povo abençoado do Brasil”, isto só pode ser inveja! E inveja destrói o invejoso, vide o que está acontecendo com seus desafetos!

Vamos comparar às personalidades, trajetórias e “fichas-corridas” do Bolsonaro Lula e Dilma; seria possível?

Que Deus salve o Brasil e traga paz e harmonia entre os  brasileiros!




 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.