AS ULTIMAS


POLÍTICA

COLUNAS

ESPORTES

Pouso Alegre confirma primeiro caso de varíola dos macacos

Foto: Google


Ontem, segunda-feira, 1, duas cidades do Sul de Minas confirmaram casos positivos de varíola de macaco: Poços de Caldas e Pouso Alegre. Estas foram as primeiras confirmações de Monkeypox na região.

De acordo com a prefeitura de Poços de Caldas, no dia 22 de julho, um paciente com histórico de viagem entrou em contato com o sistema de Saúde com sintomas característicos da doença.

A confirmação de infecção aconteceu após análise de Fundação Ezequiel Dias. O paciente está em bom estado de saúde, recebendo assistência médica e permanece em isolamento domiciliar, com medicação sintomática.  Outros dois casos estão em investigação.

Já em Pouso Alegre o paciente que testou positivo para varíola de macaco está estável, sem complicações e em isolamento domiciliar. 

Ainda de acordo com a administração municipal, outros dois casos suspeitos investigados foram descartados. A SES-MG havia divulgado uma suspeita em Lavras durante a semana passada, mas o caso foi retirado do relatório da última sexta-feira (29). Um caso suspeito de Três Corações e dois de Varginha foram descartados pela secretaria.

O que é a varíola dos macacos?

A varíola dos macacos é uma doença viral rara transmitida pelo contato próximo com uma pessoa infectada.

A transmissão pode ocorrer pelas seguintes formas:

  • Por contato com o vírus – com um animal, pessoa ou materiais infectados, incluindo através de mordidas e arranhões de animais, manuseio de caça selvagem ou pelo uso de produtos feitos de animais infectados. Ainda não se sabe qual animal mantém o vírus na natureza, embora os roedores africanos sejam suspeitos de desempenhar um papel na transmissão da varíola às pessoas.
  • De pessoa para pessoa: pelo contato direto com fluidos corporais como sangue e pus, secreções respiratórias ou feridas de uma pessoa infectada, durante o contato íntimo – inclusive durante o sexo – e ao beijar, abraçar ou tocar partes do corpo com feridas causadas pela doença. Ainda não se sabe se a varíola do macaco pode se espalhar através do sêmen ou fluidos vaginais.
  • Por materiais contaminados que tocaram fluidos corporais ou feridas, como roupas ou lençóis;
  • Da mãe para o feto através da placenta;
  • Da mãe para o bebê durante ou após o parto, pelo contato pele a pele;
  • Úlceras, lesões ou feridas na boca também podem ser infecciosas, o que significa que o vírus pode se espalhar pela saliva.


 
Todos os Direitos Reservados - Notícias do Renan © 2017
Desenvolvido por: Renan Lenzi.