top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

A Justiça emitiu uma liminar na noite de segunda-feira (15/4) para suspender a cobrança de pedágio na BR-365.

Foto: Divulgação
No trecho de 131 quilômetros entre Patrocínio, no Alto Paranaíba, e Uberlândia, no Triângulo, a Justiça suspende pedágio na BR-365 por falta de condições.

. A decisão de suspensão permanecerá válida até que a rodovia, que está em condições precárias de conservação, seja completamente recuperada. O requerimento feito pela deputada estadual Lud Falcão (Podemos) e pelo senador Cleitinho Azevedo (Republicanos) foi acatado pelo tribunal na segunda-feira, resultando na suspensão da cobrança de pedágio ao longo dos 131 quilômetros da BR-365, entre Patrocínio e Uberlândia.

A EPR Triângulo, com sede em Uberlândia, é a concessionária responsável pela administração da rodovia. Na petição apresentada ao tribunal, os parlamentares solicitaram a suspensão do pedágio até que a rodovia, que eles alegam estar em péssimas condições de conservação, seja completamente recuperada. Tanto a deputada quanto o senador percorreram de carro os 131 quilômetros entre Patrocínio e Uberlândia na última sexta-feira.

Lud Falcão declarou: "Visto que a concessionária EPR Triângulo está violando o contrato, os prazos e as determinações do governo estadual, responsável pela fiscalização do cumprimento do contrato de concessão, eu e o senador Cleitinho buscamos a intervenção da Justiça. Não podemos permitir que a empresa ignore suas obrigações e exponha os usuários da rodovia a situações perigosas que podem resultar em acidentes graves.

A negligência da concessionária é inaceitável e não pode continuar." Lud Falcão também mencionou os buracos, afirmando que eles estão presentes até mesmo na praça de pedágio. "Havia buracos em toda a extensão da pista, inclusive na praça de pedágio. Além disso, há um número insuficiente de cabines de pedágio, o que causa longas filas e inconvenientes para os usuários. É crucial que as cláusulas do contrato sejam respeitadas.

Enquanto esse respeito não for garantido, não é justo que as pessoas paguem por um serviço que não recebem", enfatizou Lud Falcão. O senador Cleitinho elogiou o trabalho realizado por ele e Lud Falcão. "Isso demonstra que o trabalho de fiscalização que nós, Ludmila Falcão como deputada estadual e eu como senador, somos obrigados a realizar está produzindo resultados. Isso é fundamental. Eu duvido que, em 24 horas, consigam fazer os reparos necessários na estrada. Portanto, é necessário cancelar a cobrança do pedágio e abrir a cancela."

O valor do pedágio cobrado pela EPR em cada posto é de R$ 12,70 para veículos de passeio, R$ 6,35 para motocicletas, R$ 25,40 para ônibus e R$ 38,10 para caminhões com até três eixos, e está em vigor desde 22 de outubro do ano passado.
Fonte: O Tempo

Comments


bottom of page