top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Advogada é presa suspeita de matar ex-sogro e a mãe dele envenenados com suco



A Polícia Civil deteve Amanda Partata, principal investigada pela morte de Leonardo Pereira Alves (58 anos) e Luzia Tereza Alves (86 anos), mãe e filho, ocorrida no último domingo (17) em Goiânia. O crime, que envolveu envenenamento, não tem ligação confirmada com a produção de doces da confeitaria Perdomo Doces, uma renomada estabelecimento da capital.
O envenenamento ocorreu após o almoço do domingo, resultando em sintomas graves como vômito, diarreia e dores abdominais, levando as vítimas a serem hospitalizadas. Infelizmente, mãe e filho não resistiram.
A polícia realizará uma coletiva na quinta-feira (21) para detalhar o caso, mas informações preliminares indicam que o envenenamento teria ocorrido por meio de um suco, conforme relatado por uma fonte. Amanda, ao ser conduzida à delegacia, alegou inocência.
A família, em uma carta publicada na segunda-feira (18), expressou a incerteza sobre os acontecimentos e mencionou a possibilidade de diversas causas para o incidente, mesmo que relacionadas à alimentação.
A confeitaria Perdomo Doces, por sua vez, afirmou que o lote de produtos sob investigação já foi retirado de todas as lojas e que colaborou plenamente com as autoridades, oferecendo acesso irrestrito às suas unidades para inspeções.
Além disso, chamou atenção o fato de Amanda Partata, identificada como psicóloga nas redes sociais, não possuir registro profissional ativo junto ao Conselho Regional de Psicologia de Goiás (CRP-GO), segundo informações do CRP09. A entidade esclareceu que, para exercer legalmente a profissão, é obrigatório manter registro tanto no Conselho Federal quanto no Regional correspondente. A investigação prossegue, e a polícia aguarda os resultados das perícias e esclarecimentos durante a coletiva para avançar nas conclusões do caso.
Fonte: O Tempo

Comments


bottom of page