top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Alerta de tempestade cobre maior parte do Brasil neste domingo; confira em Minas


Reprodução

Jonathan Batista Barbosa, de 37 anos, um dos presos pela morte do estudante Gabriel Mongenot, de 25 anos, havia sido liberado em uma audiência de custódia no sábado (18) por ter cometido um “crime sem violência”.
A vítima morreu na madrugada de domingo (19), durante um assalto na Praia de Copacabana. Natural do Mato Grosso do Sul, ele estava no Rio de Janeiro com um grupo de amigos para assistir ao show da cantora Taylor Swift.
O suspeito já havia sido detido na sexta-feira (17) após ser acusado, junto a outro homem, de roubar 80 barras de chocolate, no valor total de R$ 457, em uma loja da capital fluminense.
Segundo o registro da ocorrência, um homem chamado Alan Ananias Cavalcante, de 26 anos, entrou na loja e furtou as barras e as escondeu em uma sacola. Uma funcionária do estabelecimento acionou policiais militares que passavam pelo local. Ao notar a aproximação dos agentes, Alan teria entregado a sacola contendo os doces furtados a Jonathan.
Presos em flagrante, os dois foram levados no dia seguinte à 5ª Vara Criminal da Comarca da Capital para audiência de custódia. Na ocasião, a juíza Priscilla Macuco Ferreira decidiu pela liberdade provisória de ambos por entender que o crime foi cometido sem violência ou grave ameaça contra a pessoa, e os bens subtraídos foram integralmente restituídos.
“Assim, considerando os fatos em análise, a vedação à concessão da liberdade provisória aos conduzidos não se mostra proporcional ou razoável, notadamente por se tratar de subtração de gêneros alimentícios de grande rede de lojas comerciais, que foram recuperados e devolvidos à empresa lesada”, diz a magistrada.
A juíza determinou que ambos deveriam comparecer mensalmente em juízo, estavam proibidos de sair da cidade por mais de sete dias e de frequentar a loja furtada. Com a decisão, eles foram colocados em liberdade.
Jonathan foi preso novamente no início da tarde de domingo (19), na Lapa, Região Central do Rio, por participação na morte de Gabriel, segundo a Polícia Civil.
Já Alan chegou a ser detido, também por suspeita de participação na morte do estudante, mas, segundo a Polícia Militar, nada foi comprovado e ele foi liberado.
Ainda durante a madrugada de domingo (19), homens do 19° Batalhão de Polícia Militar (Copacabana) prenderam também Anderson Henriques Brandão, que foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC). Ele confessou participação no assalto que resultou na morte do fã da cantora Taylor Swift. Segundo a polícia, ele tem 14 anotações criminais.
Fonte: CNN

コメント


bottom of page